A emocionante estreia de “Rock in Rio – O Musical”

topo1

Elenco de “Rock in Rio – O Musical”

Não importa o que dizem: sabemos que “Rock in Rio – O Musical” é, de certa forma, uma grande propaganda do festival. Assim sendo, você precisa ir além. Em cartaz no belíssimo Teatro Alfa em São Paulo, o espetáculo é uma homenagem à música e tem um excelente roteiro. Música boa e para todos os gostos. Dirigido por João Fonseca e escrito por Rodrigo Nogueira, o musical conta a história – atemporal e sem localização geográfica – de Alef (Hugo Bonemer) e Sofia (Yasmin Gomlevsky). Ela, de verbo afiado e filha do organizador de um grande festival (Guilherme Leme), odeia música. Ele, após a perda de seu pai na ditadura, vive com a mãe (Lucinha Lins) e expressa-se apenas por canções. Quando eles se encontram, um complementa o outro.

materia talvez

Em cena: Hugo Bonemer e Lucinha Lins

É quase uma afronta descrever em tão poucas linhas uma história tão bem escrita: “Os personagens dão vida a uma trama que brinca com o limite entre o real e o irreal. Essa dualidade pode transparecer de diferentes maneiras: na relação entre música e palavra; o sonho e a realidade; o perfeito e o falho…” conta Rodrigo. E não deve ter sido fácil escrever uma peça baseada em um festival tão amplo: “Quando o João me disse ‘É um musical sobre o Rock in Rio e a história pode ser o que você quiser’, eu quase caí pra trás!”, brinca. E Roberto Medina – presidente do festival – deu total liberdade à equipe para fazer da forma que achassem melhor: “Contratar uma banda e vender bilhetes é uma equação muito pequena. Por isso, ver o ‘Rock in Rio – O Musical’ ganhar vida própria é estimulante”, incentivou. Fonseca elogiou a liberdade de criação: “Comecei a imaginar, de imediato, o incrível repertório de canções que poderia pôr em cena. Ter Queen na trilha sonora, por exemplo, é um luxo”, entusiasma-se.

E a trilha sonora é empolgante! Se você pensa que somente clássicos do rock internacional são lembrados está enganado! Só para que você tenha uma vaga ideia, “Kiss” (Prince), “Pro Dia Nascer Feliz” (Cazuza), “Freedom” (George Michael), “Sorte Grande” (Ivete Sangalo), “Don’t Let The Sunshine Go Down On Me (Elton John), “Wonderwall” (Oasis), “Resposta” (Skank), “Every Breath You Take” (Sting), “Moves Like Jagger” (Maroon 5), “Você Não Soube Me Amar” (Blitz), “Don’t Stop The Music” (Rihanna), “Firework” (Katy Perry) e “Minha Fama de Mau” (Erasmo Carlos) são algumas das quase 50 canções cantadas no espetáculo pelo elenco de 25 excelentes atores e acompanhadas por uma banda de nove músicos.

É injusto destacar os melhores artistas do espetáculo e um desafio destacar nossos números musicais preferidos, mas “Despertar Jamais” (Ivan Lins) e “You’ve Got a Friend” (Carole King), ambos cantados pela atriz Lucinha Lins – responsável pelas cenas mais emocionantes da peça -, são de arrepiar! E não há como não citar, além de Lucinha (Glória), o encantador Hugo Bonemer, o engraçadíssimo Ícaro Silva (Marvin) e o carismático Caike Luna (Geraldo).

O orçamento de R$12 milhões de reais – uma das maiores produções da Aventura Entretenimento – foi muito bem aplicado. São mais de 20 cenários – que incluem casas, camarins, lanchonete e até um carro – que entram e saem diversas vezes durante as 3 horas de espetáculo. Além disso, são mais de 125 peças multicoloridas e cheias de detalhes que vestem o elenco e caracterizam Axl Rose, Sandy e Junior, Shakira e muitas outras estrelas que passaram pelo festival.

Luiz Calainho, Roberta Medina e João Fonseca.

Luiz Calainho, Roberta Medina e João Fonseca

Com apresentação da Oi e dos Correios, “Rock in Rio – O Musical” tem patrocínio do Itaú, Redecard, Shell e Ipanema: “Se não são as empresas que investem em cultura, nós não teríamos a evolução que tivemos de 5 anos para cá. Essas empresas foram fundamentais para viabilizar a cultura desse país, portanto a educação e a evolução do país. Sem elas não teríamos como viabilizar esse projeto”, agradece Luiz Calainho, sócio da produtora Aventura. Depois de quatro meses de sucesso no palco da Grande Sala da Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, onde recebeu mais de 60 mil espectadores, o espetáculo deve ficar em cartaz de quinta a domingo até o dia 4 de agosto. Os ingressos podem ser encontrados na bilheteria do Teatro Alfa e custam de R$20,00 (meia) a R$180,00 (inteira).