Barcelona conserva maior acervo do artista espanhol no Museu Picasso

(Foto: Reprodução Internet)

Existem inúmeros museus espalhados pelo mundo dedicados somente ou grande parte à obra de Pablo Picasso (1881-1973). O primeiro e único espaço criado durante a vida do espanhol, representa o maior e mais famoso acervo em homenagem ao artista. Localizado em Barcelona, o Museu Picasso possui mais de 4.250 obras em sua coleção permanente, incluindo a série “Las Meninas” (1957), único conjunto de quadros do artista que se encontra completo em um mesmo local. Formado por 58 quadros, o ensaio reinterpreta a obra homônima criada por Diego Velázquez (1599-1660). A genialidade de Pablo Picasso e o rico acervo do museu atraem anualmente cerca de um milhão de pessoas, fato que o torna um dos mais visitados museus da Espanha.

Inaugurado em 1963, o Museu Picasso teve início graças à doação da coleção particular de Jaume Sabartés (1881-1968), amigo e secretário do artista espanhol. Natural de Málaga, Pablo Picasso viveu sua infância e adolescência em Barcelona. Por esse motivo, o próprio artista escolheu a cidade para a fundação do museu. Instalado originalmente na Carrer Montcada, localizada no centro velho de Barcelona, o empreendimento precisou de diversas expansões ao longo dos anos, ocupando cinco palácios e casarões vizinhos construídos entre os séculos 13 e 14.

(Foto: Reprodução Internet)

Pablo Picasso teve contato com artes desde cedo. Seu pai, José Ruiz y Blasco, era professor na Escuela de Bellas Artes (atualmente Escuela de Arte San Telmo) e curador do Museo Municipal (Museo del Patrimonio Municipal) em Málaga, cidade localizada na costa sul da Espanha. Com sete anos, Picasso passou a receber aulas regulares de seu pai, que acreditava que a disciplina e o treino o fariam um artista exemplar. No decorrer de sua carreira, migrou do Realismo para o Cubismo, tornando-se um dos principais representantes do movimento artístico no mundo.

Entre as peças expostas no Museu Picasso, encontram-se pinturas produzidas durante sua infância e adolescência, quadros criados durante suas estadias em Paris, incontáveis obras do Período Azul (1901–1904), algumas imagens do Período Rosa (1904–1906), peças do Período Africano (1907–1909) e uma coleção de rascunhos, gravuras, litogravuras e esculturas, trabalhos não muito conhecidos pelo grande público. Pouco antes de morrer, Pablo Picasso doou mais de 900 obras para o espaço, transformando-se no maior incentivador da história do Museu Picasso.

>> Palau Güell: um pedaço da história no coração de Barcelona

(Foto: Reprodução Internet)

O Museu Picasso está localizado na Carrer Montcada, 15-23 – La Ribera, em Barcelona, na Espanha. As estações de metrô mais próximas são Jaume I (linha 4) e Arc de Triomf (linha 1). O museu funciona todos os dias, exceto 01 de janeiro, 01 de maio, 24 de junho e 25 de dezembro. A entrada é gratuita às quintas-feiras a partir das 18h, todo primeiro domingo do mês e nos dias 18 de maio e 24 de setembro.

Os ingressos para o acervo custam 12€ (cerca de R$52,00) e para a exibição temporária 6,50€ (cerca de R$28,00). Há um combo para ambas as experiências no valor de 14€ (cerca de R$60,00). As entradas podem ser adquiridas no portal e na bilheteria. A bilheteria e a visitação se encerram trinta minutos antes do horário de fechamento. Confira a programação e os horários diários no site oficial do Museu Picasso.