Baseado em fatos reais, “Chaplin, o Musical” reestreia em São Paulo

(Foto: Divulgação)

Após enorme sucesso em 2015, “Chaplin, o Musical” retorna à capital paulista para curtíssima temporada. Responsável por protagonizar o espetáculo, Jarbas Homem de Mello interpreta Charlie Chaplin desde sua infância pobre até sua morte. Cercada por grandes nomes, a montagem é produzida por Claudia Raia em parceria com Sandro Chaim, enquanto a versão brasileira é assinada por Miguel Falabella. “Chaplin, o Musical” conquistou cerca de 80 mil espectadores durante a primeira temporada.

Jarbas interpreta Charlie Chaplin da adolescência até a maturidade. A caracterização é feita em cerca de uma hora e há inúmeras mudanças visuais no decorrer da peça para que o público perceba a passagem do tempo. Em cena durante praticamente todo o espetáculo, o artista impressiona principalmente na reprodução dos tradicionais movimentos de Chaplin, tornando o musical uma homenagem delicada e de extremo bom gosto. Ao lado de Fabi Bang, Myra Ruiz se tornou conhecida após protagonizar “Wicked” (2016). No espetáculo, a artista substitui Giulia Nadruz no papel da quarta e última esposa de Chaplin, Oona O’Neill, filha do dramaturgo Eugene O’Neill. Com sua belíssima voz e interpretação doce, Myra conquista a posição de grande destaque do segundo ato.

Com direção geral de Mariano Detry, direção musical de Marconi Araújo e coreografia de Alonso Barros, “Chaplin, o Musical” impressiona pela qualidade técnica. A cenografia assinada pelo inglês Matt Kinley, somada ao desenho de luz de Drika Matheus e às projeções de Luciana Ferraz encantam o público. No palco estão réplicas de objetos e peças de antiquários de São Paulo. São mais de 120 peças no figurino assinado por Fábio Namatame, com destaque para as roupas usadas na cena “Vaudeville-Dream” e para o vestido branco utilizado no final do espetáculo por Myra Ruiz. Entre os acessórios de caracterização estão mais de 30 perucas, 55 itens de postiçaria (20 são bigodes usados por Chaplin) e três bengalas vindas de Londres, do mesmo tipo das usadas por Charlie Chaplin.

Com texto original de Christopher Curtis e Thomas Meehan, e músicas originais de Christopher Curtis, “Chaplin, o Musical” estreou em Nova York em 2006, desembarcando na Broadway em 2012. Cinco músicas foram compostas especialmente para a versão brasileira do musical. Formado por mais de vinte artistas, o elenco conta com a participação de Naíma (Hannah Chaplin), Paula Capovilla (Hedda Hooper), Paulo Goulart Filho (Mack Sennett) e Juan Alba (Sydney Chaplin), substituindo o ator Marcello Antony.

>> Elenco e produção se destacam em musical “A Pequena Sereia”

(Foto: Divulgação)

“Chaplin, o Musical” está em cartaz no Theatro NET (Rua Olimpíadas, 360 – Itaim Bibi) em São Paulo, quintas (21h), sextas (21h), sábados (17h e 21h) e domingos (18h). As entradas custam de R$37,50 (meia) a R$200,00 (inteira) e podem ser adquiridas através do site oficial do Ingresso Rápido. O musical tem duração de 140 minutos, incluindo um intervalo de 20 minutos, e classificação indicativa livre. Até 29 de julho. Estrela1 Estrela1 Estrela1