Caio Blat estreia impecável versão de “Grande Sertão: Veredas”

(Foto: Roberto Pontes)

Baseado na obra de Guimarães Rosa, o espetáculo “Grande Sertão: Veredas” estreou no Sesc Consolação, em São Paulo, com enorme expectativa por parte dos espectadores, situação normalmente atribuída às estreias protagonizadas por grandes estrelas das artes dramáticas. Embora o elenco não conte com Antonio Fagundes ou Fernanda Montenegro, o público utiliza a referência para conceder o título a Caio Blat, excepcional e merecedor de todos os aplausos ao interpretar o protagonista Riobaldo.

Em quase três horas de espetáculo, Caio permanece no minúsculo espaço montado no hall do Sesc Consolação, rodeado por uma estrutura de arquibancadas que acomoda desconfortavelmente as quase 150 pessoas por sessão. Propositalmente quente, fazendo uma incontestável alusão ao sertão brasileiro, o cenário tortura plateia e elenco, que cobre literalmente o chão de suor, em uma das experiências teatrais mais realistas dos últimos anos. O ator, no entanto, demonstra de maneira sublime e revigorante seu indiscutível talento.

(Foto: Roberto Pontes)

Caio Blat se mostra inteiro. Tem sensibilidade para os momentos ingênuos, quase inocentes de Riobaldo, mas cresce de modo surpreendente e emocionante quando seu personagem precisa tomar à frente da história. Entregue, o artista se despe de qualquer postura de astro (e de seu figurino) para dividir o espaço com os competentes colegas como Luisa Arraes, Leonardo Miggiorin e Luiza Lemmertz, excelente no papel de Diadorim. Embora o protagonista tenha nome e sobrenome, a participação dos demais artistas chama atenção pela harmonia raramente vista em um elenco desse tamanho.

“Grande Sertão: Veredas” marca o retorno de Bia Lessa na direção de um espetáculo teatral, quase 10 anos depois de “Exercícios nº 2: Formas Breves” (2009). Foram 99 dias de ensaio para que o minucioso trabalho se transformasse em um espetáculo requintado, moderno e inesquecível, adjetivos que não necessariamente vem à cabeça quando se pensa no sertão brasileiro, mas que fazem sentidos inquestionáveis após a peça. Diálogos e trilha sonora são ouvidos através de fones individuais e completam a produção que conta com cerca 250 bonecos de feltro em tamanho proporcional ao do ser humano, usados para ilustrar de forma poética, mas bastante eficaz, a destruição causada pela guerra descrita na história.

(Foto: Roberto Pontes)

“Grande Sertão: Veredas” está em cartaz no Sesc Consolação (Rua Dr. Vila Nova, 245 – Vila Buarque), em São Paulo, quintas (20h30), sextas (20h30), sábados (20h30) e domingos (18h30). Em feriados, o espetáculo acontece às 20h30. Os ingressos custavam de R$12,00 a R$40,00, mas estão esgotados até o fim da temporada. Em dias de espetáculo, se forma uma fila para ocupar o lugar de eventuais desistentes. “Grande Sertão: Veredas” tem classificação indicativa para maiores de 18 anos e duração de 170 minutos sem intervalo. Vá com roupas confortáveis. No espaço, há uma instalação com parte do processo de construção do espetáculo. A instalação funciona de segunda a quarta, das 11h às 21h30; quintas e sextas, das 11h às 19h30; e aos sábados, das 10h30 às 19h. A visita tem classificação livre e é gratuita. Ambos ficam em cartaz na capital paulista até 22 de outubro. A montagem segue para o Rio de Janeiro com apresentações a partir de janeiro de 2018, no CCBB Rio. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1

error: