“Caros Ouvintes”: o espetáculo sobre a radionovela brasileira

Amanda Acosta

Amanda Acosta

Com estreia marcada para o dia 16 de agosto, o espetáculo “Caros Ouvintes” promete encantar o público durante a reabertura do Grande Auditório do MASP, em São Paulo. Com texto e direção de Otávio Martins, a peça retrata o período de transição da radionovela para a telenovela no final da década de 60: “Foram dois anos de pesquisa, da estrutura ao funcionamento da radionovela”, conta Otávio. Os papéis de Amanda Acosta – a cantora de jingles Leonor Praxedes – e de Alexandre Slaviero – o publicitário Vespúcio Neto – retratam fielmente e devem emocionar a plateia que vivenciou a época: “Essa mulher é um fenômeno em cena!”, elogia o diretor que conta que a trilha-sonora é toda feita ao vivo. A responsabilidade fica por conta de Alex Gruli (Eurico Boavista) que toca por volta de 30 “instrumentos” para ambientar o “ouvinte” na radionovela que acontece, de fato, no espetáculo. Tudo que é ouvido na peça foi criado em parceria com Ricardo Severo para “Caros Ouvintes”: “O aspecto sonoro é tão importante quanto o texto”, completa Martins.

Alexandre Slaviero

Alexandre Slaviero

Não há um protagonista: “São oito personagens muitos ricos, que contam uma história da melhor forma possível”, orgulha-se Petrônio Gontijo (Vicente Martinho). “O protagonista é o rádio”, conclui Martins. Rodrigo Lopez (Wilson Nelson), Agnes Zuliani (Ermelinda Penteado), Eduardo Semerjian (Péricles Gonçalves) e Natállia Rodrigues (Conceição Neves) completam o elenco estelar. Três atores tem a difícil tarefa de interpretar personagens da radionovela dentro da peça: “Pedro Henrique Moutinho, que está na capa do programa, faz o Jonas e não aparece. Mesmo assim, é um personagem com começo meio e fim”, entrega Otávio. “Faz parte do trabalho do ator conhecer, se aprofundar”, conta Slaviero sobre o período de ensaio que durou dois meses. “Independente de ser radionovela, televisão, teatro ou cinema, a gente acha graça. A diferença está nos processos, mas a diversão é igual”. Os atores leram “A Era do Radioteatro”, de Roberto Salvador: “O espetáculo ainda cita profissionais que fizeram história e as pessoas saberão e poderão se inspirar para uma pesquisa ainda maior”, finaliza Amanda.

O fantástico programa da peça criado por Beatriz Cervone retrata uma revista da época colorida manualmente, com receitas, propagandas, piadas, passatempos, entrevistas e até uma fotonovela. O cuidado com os detalhes também está presente no cenário de Marco Lima e no figurino de Fabio Namatame: “O material utilizado é de época!”, orgulha-se Otávio. “A Natállia fica bonita!”, brinca sobre o trabalho do visagista Eliseu Cabral, também responsável pela caracterização de personagens como Dona Guiomar (Zuliani). A comédia – que tem como pano de fundo o espaço de tempo da Ditadura Militar ao Ato Institucional Número 5 – tem produção do talentoso Ed Júlio.

“Caros Ouvintes” estreia no dia 16 de agosto no Grande Auditório do MASP (Avenida Paulista, 1.578), sextas (18h e 21h), sábados (21h) e domingos (19h30). Os ingressos custam de R$15 (meia) a R$50 (inteira) e podem ser comprados no Ingresso Rápido. Até 14 de dezembro.

Parte do elenco de "Caros Ouvintes"

Parte do elenco de “Caros Ouvintes”