Débora Falabella passeia pelas últimas décadas em “Love, Love, Love”

(Foto: Leekyung Kim)

“All You Need Is Love” é uma canção da banda inglesa The Beatles. A música foi escrita por John Lennon como contribuição do Reino Unido para o evento “Our World”, primeira transmissão ao vivo de televisão via satélite. Mais de 400 milhões de pessoas em quase 30 países acompanharam o episódio que ocorreu em 25 de junho de 1967, data em que se passa a primeira cena do espetáculo “Love, Love, Love”, em cartaz no Teatro Vivo em São Paulo.

Dividida em três atos curtos (cada cena possui pouco mais de vinte minutos), a peça mostra a vida dos personagens em 1967, 1990 e 2014. No primeiro ato, Sandra (Débora Falabella) marca um encontro com Henry (Mateus Monteiro). Ao chegar no apartamento, conhece seu irmão, Kenneth (Alexandre Cioletti). Mais de vinte anos depois, Sandra (interpretada por Yara de Novaes) e Kenneth (interpretado por Augusto Madeira) precisam encarar as diferenças em seu casamento e as dificuldades na criação de seus filhos adolescentes (Débora Falabella e Alexandre Cioletti). No terceiro e último ato, pais aposentados e filhos adultos acertam as contas.

(Foto: Leekyung Kim)

Realizada pelo Grupo 3 de Teatro (de Débora Falabella e Yara de Novaes com Gabriel Fontes Paiva), “Love Love Love” é uma peça escrita por Mike Bartlett, dramaturgo inglês responsável por “Contrações”, espetáculo de grande sucesso trazido pela mesma turma ao Brasil. Dirigido por Eric Lenate, o elenco recebe merecidos aplausos por seu enorme talento e pela rara afinidade que transparece em cena e emociona os espectadores.

Criado por André Cortez o marcante cenário é adaptado às décadas aos olhos do público. Sofá, luminária e eletrodomésticos são manuseados em uma performance coreografada, de maneira que apenas partes específicas de cada objeto cênico sejam trocadas, mantendo a essência cenográfica, mas modificando claramente a temática do espaço. O figurino assinado por Fábio Namatame desenha de maneira emocionante e bastante real cada uma das fases do espetáculo, sem parecer fantasias ou promover esteriótipos. Outro detalhe técnico que não passa despercebido é a encantadora trilha sonora de L. P. Daniel.

>> Débora Falabella: “Minha profissão é extremamente libertadora”

>> Maitê Proença: “Quando o público se sente burro, a culpa é do ator!”

(Foto: Leekyung Kim)

“Love, Love, Love” está em cartaz no Teatro Vivo (Av. Dr. Chucri Zaidan, 2.460 – Morumbi) em São Paulo. Sextas (20h), sábados (21h) e domingos (18h). As entradas custam de R$25,00 (meia) a R$60,00 (inteira) e podem ser encontradas no site oficial do Ingresso Rápido. Clientes Vivo Valoriza tem 50% de desconto. Para informações, consulte a operadora. “Love Love Love” tem duração de 110 minutos e classificação indicativa para maiores de 14 anos. Até 13 de maio. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1