Disney lucra quase US$400 milhões com estreia de “Mogli – O Menino Lobo”

Mogli-O-Menino-Lobo-O-Filme-The-Jungle-Book-The-Movie-da-Disney-em-3D

(Foto: Divulgação)

Em abril de 2016 estreou nas salas de cinema de todo o mundo, o live action do clássico “Mogli – O Menino Lobo”. O termo define trabalhos que, ao invés de animação, são realizados por atores reais. Aos 12 anos, o americano Neel Sethi interpreta Mogli, e atua ao lado de animais criados através de computação gráfica, dublados por astros como Bill Murray (Baloo), Christopher Walken (King Louie) e Scarlett Johansson (Kaa). Respectivamente, Marcos Palmeira, Tiago Abravanel e Alinne Moraes emprestam suas vozes aos personagens no Brasil.

Mogli (Mowgli, na versão original) apareceu pela primeira vez no livro “In the Rukh” (1893), escrito pelo britânico Rudyard Kipling. O personagem é o foco principal de “The Jungle Book” (1894), conto utilizado como base para a animação da Walt Disney Pictures. No Brasil, a obra foi publicada pela primeira vez em 1933, com tradução de Monteiro Lobato, sob o título “O Livro de Jângal”, uma palavra antiga para indicar floresta. Último longa-metragem produzido por Walt Disney, o décimo nono clássico dos estúdios chegou aos cinemas em 1967.

Dirigido por Jon Favreau (de “Homem de Ferro”), “Mogli – O Menino Lobo” mantém a inocência e os valores da animação original, com efeitos em terceira dimensão que transportam o espectador para dentro da história. A moderna produção custou US$175 milhões e lucrou mais que o dobro apenas na primeira semana. A trilha-sonora é o melhor e o pior do longa-metragem. Um dos grandes destaques é a utilização de “The Bare Necessities” (“Somente o Necessário”, em português), a música indicada ao Oscar de Canção Original em 1967, recorda ao público a cena mais clássica da animação. Em outro momento, o personagem King Louie interpreta uma música que foge completamente do contexto.

Como em muitos filmes dos Estúdios Disney, a animação “O Rei Leão” (1994) pode ser reconhecida em diversas passagens. Durante a perseguição do tigre Shere Khan ao menino Mogli, o protagonista escapa do inimigo em meio ao estouro de uma manada de búfalos, muito parecida com a cena dos gnus no desfiladeiro; uma das imagens de “Mogli – O Menino Lobo” destaca um javali e um suricato lado a lado, como os populares Timão e Pumba; e a morte de um dos personagens principais acontece visualmente como o assassinato de Mufasa. As cenas foram inseridas de maneira proposital, uma vez que os Estúdios Disney pretendem criar a versão da animação em live action, assim como os filmes “A Bela e a Fera”, “Cruela”, “Mary Poppins”, “Mulan”, “Ursinho Pooh” e “Dumbo”. O último terá direção de Tim Burton. Além disso, a marca confirmou a continuação de “Mogli – O Menino Lobo” e de “Malévola”.

“Mogli – O Menino Lobo” está nos planos da Disney para ser levado para a Broadway, em Nova York. O musical teve prévias de sucesso em 2013 e deve fazer parte da agenda oficial da marca nos próximos anos, ao lado de “Procurando Nemo” (2003) e “Frozen” (2013).

>> Adam Jacobs conta curiosidades sobre espetáculo musical “Aladdin” da Disney

Mogli-O-Menino-Lobo-O-Filme-The-Jungle-Book-The-Movie-da-Disney-em-3D

(Foto: Divulgação)