Dois ingressos para o musical “Alô, Dolly!”, por favor!

(Foto: Divulgação)

Imperdível é a palavra que melhor se enquadra na conclusão sobre “Alô, Dolly!”, uma das melhores montagens produzidas no Brasil. Em cartaz no Teatro Bradesco, em São Paulo, a peça não só vale a pena pelo texto engraçado e tocante, pelo envolvimento emocional de Miguel Falabella com a história, pelo coro afinado na voz e na coreografia, pelos excelentes coadjuvantes ou pela impecável atuação de Marília Pêra. “Alô, Dolly!” é um conjunto perfeito. E imperdível!

Do cenário às coreografias, tudo funciona em perfeita harmonia na história que inspirou o filme estrelado por Barbra Streisand e dirigido por Gene Kelly. Os figurinos criados por Fause Haten são deslumbrantes e deixam os quase 30 atores ainda mais elegantes. Os artistas chamam atenção tanto no canto, quanto na dança. Destaque para Thiago Machado (Ambrósio Kemper) e para o filho da protagonista, Ricardo Pêra (Rudolph Reisenweber). “Ele esteve comigo nos palcos ainda na minha barriga. Foi mais um encontro generoso promovido por Miguel”, conta Marília.

(Foto: Divulgação)

Marília Pêra é uma das maiores atrizes do país. Se você não acredita nessa afirmação, você tem chance de comprová-la de quinta à domingo em “Alô, Dolly!”. Sua atuação tecnicamente perfeita mostra que Marília é uma artista segura o suficiente para brincar com seu sorriso, com seus gestos e com o texto, deixando tudo ainda mais natural e divertido. Diversão, inclusive, é o intuito do espetáculo. E é divertido e extremamente emocionante assistir uma atriz de tamanho talento.

Miguel é outro. Diretor, escritor, tradutor, cantor, apresentador e ainda ator. E um ator engraçado! Falabella interpreta Horácio Vandergelder, um homem que contrata os serviços de Dolly Levi para conseguir se casar novamente. “Tenho uma relação afetiva com esse musical, o primeiro que vi. Saí encantando, a ponto de achar lindíssimo o trajeto pela Avenida Brasil”, conta ao lembrar que sua avó o levou para assistir à peça no Teatro João Caetano – a primeira montagem no país – no ano de 1966.

(Foto: Divulgação)

O divertido musical – que ainda conta com 16 músicos que executam as músicas do espetáculo ao vivo – fica em cartaz até o dia 06 de junho, sempre com duas apresentações aos sábados. Os preços vão de R$30 (meia) a R$200 (inteira). O Teatro Bradesco se localiza dentro do Shopping Bourbon, em Perdizes, São Paulo.