Dos mesmos produtores da FunFarra, Balaia agita a noite paulistana

Balaia

(Foto: Helena Yoshioka)

No dia 26 de março, o Cine Joia recebeu a 6ª edição da festa Balaia. Tulio Araújo, Rob Oliveira e Ciro Iadocico foram os DJs responsáveis pelo comando da pista, que permaneceu animada até a manhã seguinte. O evento é produzido por Pedro Neschling, Beto Bk e Giba Ka, os mesmos idealizadores da FunFarra, sucesso no Rio de Janeiro e em São Paulo. O conceito da Balaia é diferente, uma vez que mistura ritmos brasileiros com um ou outro sucesso internacional.

A ideia do repertório é misturar música sertaneja e funk ao pop brasileiro – principalmente das últimas três décadas – sem deixar de citar o gênero musical internacional. A seleção não é ruim, mas cansa em determinados momentos. O gênero criado nas favelas cariocas ocupa grande parte da noite e não é formado apenas por canções populares. O número de faixas desconhecidas ou muito longas desanima o ambiente, algo que não aconteceria se na escolha prevalecessem sucessos de Anitta, Naldo, Ludmilla, Buchecha e Valesca Popozuda. Músicas como “Ragatanga” (Rouge), “Vâmu Pulá” (Sandy e Junior) e “Oração” (A Banda Mais Bonita da Cidade) destacam a parcela levemente cafona do gênero e reafirmam o clichê seguido por diversas festas desde o sucesso da Gambiarra. Perdidas no meio de uma infinidade de canções nacionais, cantoras como Beyoncé e Rihanna aparecem timidamente, descaracterizando o som da festa.

Balaia

(Foto: Helena Yoshioka)

O momento sertanejo é onde o público mais se entretém. Pudera, uma vez que as canções são muito mais divertidas. Os jovens Lucas Lucco, Marcos e Belutti, Jorge e Mateus e Wesley Safadão (apesar de forrozeiro) movimentam a pista de dança. Os clássicos de Zezé di Camargo e Luciano e Chitãozinho e Xororó dão um clima de festa de formatura à Balaia. No fim, o resultado do trabalho dos DJs é positivo, mas o destaque certamente é o momento “sertanejo universitário”, que poderia ser ainda melhor aproveitado.

O pequeno e confortável Cine Joia ficou lotado no ápice da madrugada. O público é diversificado e o principal intuito das pessoas é dançar. Os ingressos normalmente custam de R$40 a R$80, dependendo do lote. O acesso aos camarotes é opcional e não há consumação incluída. Para saber sobre as próximas datas da Balaia, acesse o canal oficial da festa no Facebook ou acompanhe a atualização no site oficial da Livepass.

error: