“Dreamgirls”: tudo que você precisa fazer é sonhar, baby!

dreamgirls

(Foto: Divulgação)

35 anos após sua estreia mundial na Broadway, em Nova York, “Dreamgirls” desembarca pela primeira vez no West End, em Londres. Em cartaz no Savoy Theatre desde novembro de 2016, o espetáculo é estrelado por Amber Riley, conhecida por interpretar a personagem Mercedes Jones, no extinto seriado “Glee”. Com oito performances programadas por semana, a cantora normalmente não participa de duas: às segundas-feiras à noite e às quartas-feiras à tarde. Nessas datas, Marisha Wallace e Karen Mav se alternam para interpretar Effie White. Apesar da programação, a produção não garante a participação de nenhum artista específico.

Na sessão em que o Setor VIP assistiu com exclusividade, Marisha Wallace dividiu os holofotes com as cantoras Liisi LaFontaine (Deena Jones) e Asmeret Ghebremichael (Lorrell Robinson). A direção de Casey Nicholaw respeita o roteiro assinado por Tom Eyen e todas as nuances bastante características de cada personagem. As artistas conquistam o público com a naturalidade com que exteriorizam as particularidade bem desenhadas das protagonistas.

dreamgirls

(Foto: Divulgação)

Em 1962, o Apollo Theater, em Nova York, recebe uma famosa competição de talentos. Em busca de tornar seus sonhos realidade, as cantoras Effie White, Deena Jones e Lorrell Robinson se apresentam como The Dreamettes. Embora não conquistem o prêmio, as garotas conhecem nos bastidores o famoso Jimmy Early, que as contrata como backing vocals. Pensando no futuro do grupo, o empresário Curtis Taylor Jr., pede que Deena tome o lugar de Effie como cantora principal. Enquanto Effie causa problemas por se sentir deixada cada vez mais para trás, The Dreams – como o trio passa a ser chamado – começa a conquistar o tão sonhado sucesso.

Embora os criadores de “Dreamgirls” neguem terem se inspirado na história do grupo The Supremes, o musical possui dezenas de características existentes na história do ex-trio comandado por Diana Ross. Tanto The Supremes (na época The Primettes) como The Dreams (inicialmente chamadas de The Dreamettes) começaram suas carreiras como backing vocals de grandes artistas. O empresário das estrelas se chamava Berry Gordy Jr., enquanto no musical se chama Curtis Taylor Jr. Miss Ross, como gostava de ser chamada, teve um caso com Berry, enquanto Miss Jones, como a personagem gosta de ser chamada, teve um caso com Curtis. Florence Ballard deixou de ser a vocalista principal do trio, da mesma forma que Effie White. As coincidências passam a parecer propositais quando White é demitida de “Deena Jones & the Dreams” e Ballard de “Diana Ross & the Supremes” em Las Vegas, em 1967.

dreamgirls

(Foto: Divulgação)

Em 2006, a versão cinematográfica de “Dreamgirls” chegou às salas de cinema de todo o mundo. Estrelado por Beyoncé Knowles, a produção contou com um elenco de primeira, formado por Eddie Murphy, Jamie Foxx, Danny Glover e Jennifer Hudson. Além de render mais de US$150 milhões em bilheteria, o filme conquistou dezenas de indicações para os mais importantes prêmios da indústria, levando para casa inúmeros, incluindo o Globo de Ouro de Melhor Musical, Melhor Ator Coadjuvante para Eddie Murphy e Melhor Atriz Coadjuvante para Jennifer Hudson. A cantora também foi premiada com o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.

Prêmios não são novidade na história de “Dreamgirls”. A produção original concorreu – e venceu – em muitas das principais categorias do Tony Awards, do Drama Desk Awards e do Grammy Award. A primeira versão no West End rendeu dezenas de indicações e conquistou os troféus de Melhor Ator Coadjuvante para Adam J. Bernard (excelente no papel de Jimmy Early) e Melhor Atriz para Amber Riley (Effie White) no conceituado Olivier Awards. Merecidamente, Gregg Barnes concorreu ao prêmio de Melhor Figurino, um dos grandes destaques do musical.

>> “Mamma Mia!”: diversão garantida ao som de Abba

>> West End ovaciona espetacular musical “42nd Street”

dreamgirls

(Foto: Divulgação)

“Dreamgirls” está em cartaz no Savoy Theatre, em Londres, de segunda a sábado às 19h30. Sessões extras estão previstas para quartas e sábados às 14h30. Os ingressos custam de £15,00 a £145,00 e podem ser encontrados no site oficial da ATG Tickets. As entradas estão sendo vendidas até 10 de fevereiro de 2018. “Dreamgirls” fica em cartaz por tempo indeterminado, mas Amber Riley se apresentará apenas até 18 de novembro de 2017. O espetáculo tem duração de 2h40, incluindo um intervalo. Estrela1 Estrela1 Estrela1