Importantes personagens da teledramaturgia estão em “Roque Santeiro – O Musical”

(Foto: João Caldas)

De volta às origens, “Roque Santeiro – O Musical” chega aos palcos do Teatro FAAP, em São Paulo. Dirigidos por Débora Dubois, Jarbas Homem de Mello (Sinhozinho Malta), Livia Camargo (viúva Porcina) e Flávio Tolezani (Roque Santeiro) encabeçam o elenco composto por treze artistas. Composta por Zeca Baleiro, a trilha sonora é executada pelos próprios atores com auxílio dos músicos André Bedurê (baixo e violão) e Érico Theobaldo (guitarra e percussão). Além das letras criadas pelo artista, há músicas feitas em cima da obra original escrita por Dias Gomes. Somadas às canções, clássicos como “Dona” (Roupa Nova) e “Roque Santeiro” (Sá & Guarabyra), que fizeram parte da novela, são relembrados em momentos chave.

Santificado após morrer em batalha e, portanto, considerado um herói pela população da simplória Asa Branca, Roque Santeiro ganha uma estátua na principal praça da cidade. Com a perda de Roque, Porcina se torna uma das mais influente mulheres das redondezas. Seu caso extraconjugal com Sinhozinho Malta colabora para que a amante conquiste uma série de benefícios. Bem relacionado com representantes das forças políticas, religiosas e econômicas, o coronel percebe a estrutura que sustenta a cidade desmoronar com a notícia de que o valente homenageado está de volta à cidade, dezessete anos depois. Ex-noiva de Roque, Mocinha passa a enfrentar Porcina, por não acreditar que seu pretendente a trocou pela ex-viúva.

(Foto: Divulgação)

Baseada no espetáculo “O Berço do Herói”, “Roque Santeiro” estrearia na Rede Globo em agosto de 1975. Com a censura, a novela que traria Francisco Cuoco como Roque Santeiro e Betty Faria como Porcina, precisou ser cancelada. Quase dez anos depois, a história foi liberada e uma nova versão produzida, novamente com Lima Duarte no papel de Sinhozinho Malta, mas com Regina Duarte interpretando a viúva e José Wilker no papel título. “Roque Santeiro” é a novela brasileira de maior audiência da história. Com mais de 200 capítulos, a produção recebeu grandes prêmios como o APCA e o Troféu Imprensa, ambos nas categorias Melhor Novela, Melhor Atriz (Regina Duarte), Melhor Ator (Lima Duarte) e Revelação (Claudia Raia).

Com dispensável coreografia criada por Fabrício Licursi, “Roque Santeiro” chama atenção pelo impecável figurino assinado por Luciano Ferrari. Destaque para a jaqueta utilizada pelo personagem Roque e pelos detalhes das peças que compõem o extravagante figurino de viúva Porcina. A preparação vocal ficou por conta de Marco França e a bonita iluminação por Fran Barros. Mel Lisboa (Mocinha), Nábia Villela (Dona Pombinha), Dagoberto Feliz (Florindo Abelha), Edson Montenegro (Padre Hipólito), Luciana Carnieli (Matilde), Yael Pecarovich (Rosali), Giselle Lima (Ninon), Marco França (Toninho Jiló), Samuel de Assis (Zé das Medalhas) e Cristiano Tomiossi (General) completam o ótimo elenco.

(Foto: João Caldas)

“Roque Santeiro – O Musical” está em cartaz no Teatro FAAP (Rua Alagoas, 903 – Consolação), em São Paulo, às sextas (21h), aos sábados (21h) e aos domingos (18h). As entradas custam de R$40,00 (meia) a R$90,00 (inteira) e podem ser encontradas no site oficial do Teatro FAAP. A classificação indicativa é para maiores de 14 anos e a duração do espetáculo é de 120 minutos, sem intervalo. Até 09 de abril. Estrela1 Estrela1 Estrela1