Ivete Sangalo liga para Anitta e canta Wesley Safadão em último show do ano em São Paulo

Setor-VIP-Ivete-Sangalo-no-show-Ivete-Na-Balada-na-Arena-Villa-Country-Expo-Barra-Funda-em-Sao-Paulo

No último show de 2015, em São Paulo, Ivete Sangalo se apresentou na Expo Barra Funda – conhecida popularmente como Arena Villa Country – no sábado, 12, para um público estimado em 5 mil pessoas. “A minha história não é mais só minha, é de um monte de gente que me ajuda a fazer cada parte dela, que sonha, me abraça, me beija, que canta as minhas músicas. A minha história é agora e o nosso tempo é de alegria”, diz a cantora antes de subir ao palco para “Tempo de Alegria”, a primeira música de trabalho do show que comemorou os 20 anos de estrada da artista baiana.

Preparando-se para o carnaval, a cantora despede-se da turnê que arrastou multidões pelo Brasil nos últimos 2 anos. O repertório de quase 3 horas de duração, que circula por todas as fases profissionais de Ivete desde a Banda Eva, a série infindável de trocas de roupa e os cenários tecnológicos, foram substituídos por uma Ivete Sangalo exclusivamente festeira, de figurino único – mas não menos elegante – e de produção mais simples, mas não menos competente. Algo muito próximo ao último dia da farra de Salvador.

Cantarolando “Sampa”, de Caetano Veloso, a artista cumprimenta o público. “É quando tô em São Paulo que o bicho pega!”, brinca levando a plateia paulista ao delírio. “O show de São Paulo é sempre essa loucura e sempre vai ser. Tá todo mundo com tesão? Eu tô e não há nada que amoleça isso hoje, eu vou pegar vocês de jeito e vou levar vocês pra casa”, provoca. “Tá todo mundo feliz?”, pergunta sem a menor sombra de dúvida da resposta entre os sucessos “Aceleraê (Noite do Bem)”, “Festa”, “Sorte Grande”, “Não Quero Dinheiro”, “Na Base do Beijo”, “Manda Ver” e “We Are Carnaval”. “Finja que estamos na Bahia!”, pede.

Sucesso no carnaval de 2013 ao lado de “Ziriguidum”, da banda Filhos de Jorge, e de “Largadinho”, interpretada por Claudia Leitte, “Dançando” antecedeu as lambadas “Chorando Se Foi” e “Preta”. “Tiete” (aquela que diz: “ô maluquete, de quem você é tiete? Eu sou, sou tiete da Ivete”) e “Chupa Toda” aqueceram o público para a atual “Pra Frente”. “Vou pegar meu celular, não posso deixar de gravar isso!”, diz ao ouvir o público cantando a música à capela. “Amo vocês!”, declara-se antes de “Levada Louca”.

A trinca “Flor de Reggae”, “Mega Beijo” e “Amor Que Não Sai” foi a responsável pelo momento mais “tranquilo” da noite. Carro chefe – e única música inédita – da nova coletânea “Sai do Chão – O Carnaval de Ivete Sangalo” (2015), a canção “O Farol” permitiu que o público parasse de pular por alguns minutos. Nascida em Juazeiro, norte do estado da Bahia e fronteira com Pernambuco, Ivete Maria Dias de Sangalo Cady vendeu mais de 20 milhões de discos e segue na lista dos artistas brasileiros mais bem sucedidos do país.

Setor-VIP-Ivete-Sangalo-no-show-Ivete-Na-Balada-na-Arena-Villa-Country-Expo-Barra-Funda-em-Sao-Paulo-Sai-do-Chao-O-Carnaval-de-Ivete-Sangalo

>> Ivete Sangalo comanda carnaval fora de época em São Paulo

>> Vídeos exclusivos de Ivete Sangalo no canal oficial do Setor VIP no YouTube!

“Faraó Divindade do Egito”, “Doce Obsessão” (“Eu quero te beijar, te abraçar, preciso desse amor”), “Prefixo de Verão” e “Baianidade Nagô” (“Eu vou atrás do trio elétrico, vou”) transportaram o público ao carnaval de Salvador e “Beleza Rara” relembrou com saudosismo a fase tão especial que Ivete Sangalo comandou a famosa Banda Eva. O medley com “Tum, Tum, Goiaba” (2001), “Pra Sempre Ter Você” (2005), “Fã” (1998), “Miragem” (1997) e “Eva” (gravada por Ivete em 1997) navega por grande parte da carreira da artista. Estima-se que o DVD “Multishow Ao Vivo: Ivete Sangalo 20 Anos” (2014) que traz o registro desse momento, tenha ultrapassado a vendagem de 200 mil cópias.

“Obediente” e “Bota Pra Ferver” antecederam “Camarote” e “Parece Que o Vento”, ambas de Wesley Safadão. Na gravação original da última canção, a cantora divide os vocais com o cearense. “Meu Violão e o Nosso Cachorro”, da dupla Simone e Simaria, não encerrou o bloco de releituras. Passava das três horas da manhã, quando Ivete Sangalo resolveu ligar para a cantora Anitta. Não atendeu. Tentou Preta Gil, Thiaguinho e Paulo Gustavo sem sucesso. Na segunda tentativa, a funkeira carioca não só atendeu, como deu um show de simpatia. Transmitida em tempo real para a cantora, a performance de Ivete para “Bang”, conquistou o público e anunciou a chegada do final da apresentação.

“Preciso terminar o show!”, brinca ao notar que o espetáculo estava prestes a completar duas horas e meia de duração. “Vou cantar algumas canções para todo mundo beijar na boca”, provoca. “Eu amo essa música”, diz ao interpretar “Escreve Aí”, de Luan Santana, e emendar em “Azul da Cor do Mar”, de Tim Maia. “Cadê Dalila?”, “Empurra-Empurra” e “Arerê” terminaram a apresentação com o clima mais animado possível, deixando a noite paulista ainda mais quente.

Setor-VIP-Ivete-Sangalo-no-show-Ivete-Na-Balada-na-Arena-Villa-Country-Expo-Barra-Funda-em-Sao-Paulo