Kiara Sasso: “Estou em uma eterna busca por aprimoramento”

(Foto: Divulgação)

Nascida Chiara Francesca Perin di Santolo Sasso, a carioca Kiara Sasso se tornou um fenômeno após sua estreia no musical “A Bela e a Fera” (2002), em São Paulo. Embora não fosse sua primeira vez nos palcos, o espetáculo marcou um importante momento em sua carreira e uma grande mudança no teatro musical brasileiro, ao lado de “Les Misérables” (2001) e “O Fantasma da Ópera” (2005). Sua participação em algumas das maiores produções do mundo, levou imediatamente seu nome ao imaginário das milhares de pessoas que se encantaram com suas performances tecnicamente perfeitas e extremamente emocionantes.

Bela em “A Bela e a Fera”, Christine em “O Fantasma da Ópera”, Ellen em “Miss Saigon” (2007), Maria em “A Noviça Rebelde” (2008), Donna em “Mamma Mia!” (2010), Jeanie em “Hair” (2012) e Antonia em “O Homem de La Mancha” (2015) são apenas algumas das dezenas de personagens que interpretou em 30 anos de carreira. Kiara começou aos oito anos atuando em campanhas publicitárias e fazendo pequenas participações em filmes em Los Angeles, nos Estados Unidos, cidade em que passou grande parte de sua infância. Com 14 anos e de volta ao Rio de Janeiro, participou de seu primeiro espetáculo musical “Banana Split” (1993).

Dona de um talento único e inegável, Kiara Sasso reuniu parte de seu imenso repertório musical e algumas de suas melhores histórias no espetáculo “Silhuetas”. Por enquanto apresentado apenas no eixo Rio-São Paulo, seu primeiro show solo tem sido elogiado pela crítica e pelo público, principalmente pelos espectadores que buscam reviver memórias dos mais especiais momentos do teatro musical do país. “Silhuetas” é, sem dúvidas, mais um desses acontecimentos inesquecíveis. Entre um ensaio e outro, a artista bateu um papo exclusivo sobre o atual e importante momento de sua celebrada carreira com o Setor VIP.

No show “Silhuetas”, você interpreta canções de musicais que participou, além de números inéditos. Qual é a canção que você mais tinha saudade de voltar a cantar?
​A canção que mais amei cantar novamente foi “Um Lar”, de “A Bela e a Fera”. Foi meu primeiro grande musical, portanto muito marcante para mim. Além disso, assisti o filme à pouco tempo no cinema e senti muita falta dessa canção…​

E qual música você sempre quis cantar e nunca teve oportunidade?
A que sempre quis cantar, mas ainda não tinha cantado é “Defying Gravity”, de “Wicked”! Hino, né?

Durante a escolha do repertório, muitas músicas devem ter ficado de fora. Quais as últimas canções cortadas do repertório, que quase fizeram parte do espetáculo?
“​Shadowland”, de “O Rei Leão”; “It’s All the Same”, de “O Homem de La Mancha”; e “One of Us”, de “Mamma Mia!”.​

Você usa uma série de figurinos impecáveis durante o espetáculo, qual o seu favorito?
​Muito obrigada! O crédito, no caso, fica para o meu querido amigo Geraldo Couto, o estilista incrível que criou esses figurinos! Ele também fez o meu vestido de noiva. Amo todos, mas tenho um amor absurdo pelo dourado com a capa!

Há algum detalhe do cenário, iluminação ou um número específico que você destacaria como um dos mais especiais?
Adoro o número em que canto “Fugindo Entre os Dedos Meus”, do “Mamma Mia!”, onde chamo alguém da platéia para ser a minha Sophie. É muito gostosa essa troca que consigo ter com essa pessoa do público. Também me divirto demais na cena em que conto as minhas desventuras no teatro musical! É uma delícia poder conversar e me abrir de verdade com a platéia! Adoro!

Dentre todos os seus trabalhos em teatro musical, quais você destacaria como grandes lembranças?
​Uau! Difícil responder essa pergunta! (risos) Amo demais “A Bela e a Fera” por ter sido o primeiro e também por ser um espetáculo deslumbrante e brilhantemente concebido. “O Fantasma da Ópera”, por ter sido tão marcante na minha infância e tão importante na minha descoberta com o teatro musical. E “Mamma Mia!” por ser o espetáculo que mais amei fazer! Estava rodeada de grandes amigos, fazendo um espetáculo cheio de amor e com canções inesquecíveis!​

Há algo que você tenha aprendido com a sua experiência no exterior que você carrega com você até hoje?
​Acho que o que mais aprendi lá fora foi a eterna busca por aprimoramento, sempre tentando me superar. Quase uma competição pessoal. Eu comigo mesma. Cada dia tentando ser uma Kiara melhor que a de ontem.

Qual a maior dificuldade que você enfrentou na sua carreira?
Dificuldades são inúmeras, como em qualquer carreira. Há cada hora uma coisa, mas algo que me chama atenção, com toda a experiência que já carrego, é que estamos eternamente tendo que nos provar. Mesmo com X anos de carreira, X espetáculos no currículo, o que importa é sempre “o que você pode nos dar agora?”. É gostoso quando temos o reconhecimento do que já foi conquistado, porém é raro. Ao mesmo tempo que isso é bom, pois faz com que nos puxemos, não tem espaço para o descanso e é absolutamente exaustivo!​

Você é um ídolo do Teatro Musical…
​Ídolo? Uôu! Que responsa! Obrigada!

Quem são seus ídolos no Teatro Musical? Já os assistiu em algum espetáculo?
Eu tenho adoração por Patti Lupone, Judi Dench, Barbra Streisand, Glenn Close, Shoshana Bean… ninguém “marromeno”! (risos) Dessas, a única que tive o prazer de ver ao vivo foi Shoshana.​ No Brasil, amo a diva “mór” Bibi Ferreira e também admiro absurdamente, meu maravilhoso amigo Marcos Tumura, que tão recentemente nos deixou. Ele, para mim, era o nosso mais completo artista do teatro musical brasileiro, um artista que nunca barganhou em cena por um segundo sequer! A entrega era sempre 100%! Sempre!

Quais os espetáculos que você não fez parte, que são seus favoritos ou que foram mais marcantes para você?
​”Les Misérables”​, “Wicked”, “The Color Purple”, “Evita” e “The Last Five Years”.

Você está feliz com o show?
​Estou muito feliz com o show! Estou muito feliz em poder fazer algo com a minha cara, meu próprio selo de aprovação, sabe?​ Ao mesmo tempo que é muito árduo, é muito gratificante trabalhar para si mesmo.

E com a sua carreira?
A minha carreira está indo para esse lado de me auto produzir. Acho que esse é o caminho para muitos artistas que adquiriram experiência o suficiente para poder se aventurar em criar.

Quais os próximos sonhos que você gostaria de realizar?
Próximos sonhos? Quero continuar me desenvolvendo enquanto atriz e cantora tanto em projetos meus, quanto no dos outros e produzindo trabalhos e espetáculos de qualidade para o nosso público brasileiro.

>> Kiara Sasso recorda grandes momentos do teatro musical em “Silhuetas”

No próximo dia 14 de junho, Kiara Sasso apresenta o show “Silhuetas” no Theatro Net Rio (Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana), no Rio de Janeiro. Os ingressos custam de R$30,00 (meia) a R$80,00 (inteira) e podem ser encontrados através do site oficial do Ingresso Rápido. A apresentação única acontece às 21h e tem classificação indicativa para maiores de 12 anos.