Maria Rita homenageia artistas brasileiros em “Samba da Maria”

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

“Pra vocês que não ouviram, ele disse que sou a melhor cantora do Brasil”, brinca Maria Rita em resposta ao grito de um admirador vindo da plateia. Na terça-feira (11), a cantora subiu ao palco do Citibank Hall, em São Paulo, para apresentar ao público o show intitulado “Samba da Maria”. “Para quem não está entendendo o que está acontecendo, lesionei o joelho. Não posso andar quase nada, como vocês puderam ver”, explica após uma entrada discreta e lenta. “O médico falou que não é nada sério, mas é chato à beça. O show tem que continuar e como diz Marcelo D2: nada pode nos parar”, conta após as canções “Quando a Gira Girou”, “Alto Lá” e “Coração em Desalinho”, homenagem à Zeca Pagodinho.

“Muito obrigada pelo carinho, pela receptividade de todos vocês e pelo colo. É um sonho estar em cima de um palco, que é o meu lugar no mundo, e sem a presença de vocês, sem a generosidade da alma de cada um de vocês, não seria possível”, exagera. “O show ‘Samba da Maria’ é um sonho antigo. Há 10 anos tenho vontade de fazer um espetáculo no formato de roda de samba, onde eu pudesse mostrar os sambas que sempre me tocaram, que sempre ouvi, fazendo desse um momento mais íntimo, embora o samba tenha essa alegria infundada que a gente sente quando ouve”, explica sobre o repertório ensaiado na casa da cantora e que tem, entre outras canções, músicas de Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Alcione e Gonzaguinha.

“Eu conheço o dono da casa e ele disse que tudo bem levantar. Só não atrapalhem quem está atrás de vocês, vão para os cantos!”, completa antes de “Tá Perdoado” e “Num Corpo Só”, de “Samba Meu” (2007); “Rumo ao Infinito”, de “Coração a Batucar” (2014); e “Cara Valente”, canção de Marcelo Camelo gravada em seu disco de estreia, “Maria Rita” (2003). Em um dos bloco mais animados do espetáculo, a cantora intercalou o samba-enredo da Vai-Vai, “Simplesmente Elis”*, com as faixas “Tradição”, “Saudosa Maloca” e “Não Deixe o Samba Morrer”. Em “Samba da Maria”, a artista é acompanhada pelos músicos Davi Moraes (guitarra), Fred Camacho (banjo e cavaquinho), André Siqueira (percussão) e Marcelinho Moreira (percussão).

*A escola de samba Vai-Vai foi eleita campeã do Carnaval 2015 em São Paulo com a homenagem à cantora Elis Regina, mãe de Maria Rita.

“Queria agradecer mais uma vez cada um de vocês. Queria agradecer imensamente a equipe que vem mais cedo com comprometimento e profissionalismo para montar o palco, a luz e o som para nós, com toda a segurança para subirmos e fazermos o que mais gostamos de fazer na vida, que é tocar para vocês sem preocupação. Obrigada!”, agradece simpática antes de se despedir do público paulista com as canções “Do Fundo do Nosso Quintal”, “Bola Pra Frente” e “É”. Feliz, apesar de visivelmente incomodada por permanecer sentada, Maria Rita encerrou o espetáculo com o sucesso “O Homem Falou”. A próxima apresentação de “Samba da Maria” está marcada para o dia 09 de dezembro, na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro.

>> O privilégio em ouvir os poetas populares na voz de Maria Bethânia

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)