“My Fair Lady”: o musical mais querido de todos os tempos!

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Em 2007, “My Fair Lady” arrebatou uma multidão de pessoas durante a curta – porém inesquecível – temporada no Teatro Alfa, em São Paulo. Considerado um dos musicais mais bem produzidos no Brasil, o espetáculo retornou à capital paulista em agosto, no Teatro Santander. Dirigido por Jorge Takla, “My Fair” – como é carinhosamente chamado pelos fãs do musical – traz no papel do presunçoso professor Henry Higgins, o barítono Paulo Szot. Em 2008, o paulista conquistou o Tony de Melhor Ator por sua performance no espetáculo “South Pacific”, em Nova York. “My Fair Lady” não é o primeiro espetáculo em que Szot e Takla trabalham juntos. A dupla se conheceu durante a criação da ópera “La Bohème”, montada em São Paulo, em 1998.

Szot recria o papel interpretado por Daniel Boaventura na versão anterior dirigida por Takla, e por Paulo Autran na famosa montagem de 1962. Embora seu nome seja mais conhecido pelo mundo do que no Brasil, a popularidade do barítono não se compara com a de Daniel. O artista baiano foi em partes o responsável pelo sucesso da peça em 2007. Atualmente, a participação de Szot é rodeada pelo burburinho de sua bela voz – aprovada por quem conferiu – e pela oportunidade que o público tem de assistir ao primeiro espetáculo que o talentoso artista participa no Brasil nos últimos 10 anos. Paulo Szot se apresentou nos principais palcos do mundo, como a Opera Garnier de Paris (França), o Teatro Alla Scala (Itália) e a Opera Australia (Austrália).

>> Mais vídeos de “My Fair Lady” no canal oficial do Setor VIP no YouTube!

Daniele Nastri possui uma voz esplêndida, mas não soa natural no papel de Eliza Doolittle. Apesar da direção optar por uma maneira menos convencional de interpretação, a cantora se perde em determinadas cenas. Nada que prejudique o impecável desempenho em canções como “Agora Eu Vou Dançar”. Nastri se mostra corajosa ao enfrentar o papel interpretado originalmente nos palcos por Julie Andrews e nas telas por Audrey Hepburn. Além disso, a personagem marcou o nome de Amanda Acosta (2007) e de Bibi Ferreira (1962) na história do teatro musical brasileiro. “My Fair Lady” foi o primeiro espetáculo produzido e dirigido pela equipe original no país, e movimentou mais de 10 mil toneladas de equipamentos vindos dos Estados Unidos para as quase mil apresentações no Brasil.

No elenco, destaca-se Sandro Christopher (como o incorrigível Alfred Doolittle) e seus inseparáveis companheiros interpretados por Fernando Cursino e Felipe Tavolaro. Frederico Silveira, único ator que repete o papel da montagem de 2007, arranca aplausos e suspiros do público com o cativante Freddy Eynsford-Hill. A partir do dia 10 de outubro, Silveira ocupará o papel de Szot e será substituído por Tavolaro. “My Fair Lady” encanta a plateia com o surpreendente cenário assinado pelo argentino Nicolás Boni (atenção aos detalhes da biblioteca de Higgins) e com o indescritível figurino criado por Fábio Namatame (destaque para as criações que vestem o elenco feminino durante o número da corrida de cavalos). Todos os detalhes contam com a supervisão do diretor Jorge Takla.

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

“My Fair Lady” está em cartaz no Teatro Santander (Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi), em São Paulo, quintas (21h), sextas (21h), sábados (17h e 21h) e domingos (16h e 20h). As entradas custam de R$25 (meia) a R$260 (inteira) e podem ser adquiridas através do site oficial do Ingresso Rápido. Com Paulo Szot no papel de Henry Higgins até 06 de novembro. Com Frederico Silveira até 11 de dezembro. Henry Higgins será interpretado por Silveira nas apresentações dos dias 20, 21, 22 e 23 de outubro. Imperdível. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1