Na Inglaterra, Warner Bros. expõe objetos originais da saga “Harry Potter”

(Foto: Warner Bros. Studio Tour London – The Making of Harry Potter)

Desde o final definitivo da saga, o galpão usado como estúdio para as gravações de “Harry Potter” reúne grande parte do material utilizado nos longa-metragens. “Warner Bros. Studio Tour London – The Making of Harry Potter” se tornou um dos passeios mais populares de quem visita a Inglaterra e um sonho de consumo para os admiradores da história criada por J. K. Rowling. Localizado perto da cidade inglesa de Watford, cerca de 50km de Londres, o Leavesden Film Studios abriga milhares de objetos originais dos longa-metragens, incluindo varinhas, figurinos, automóveis, casas e partes gigantescas de alguns cenários, formando uma experiência impactante para os amantes da sétima arte, afinal, não é todo dia que o espectador tem a possibilidade de conhecer de perto os bastidores de uma obra como “Harry Potter”.

Entre os cenários mais icônicos estão o Salão Principal, o escritório de Dumbleodore, o dormitório de Harry Potter em Hogwarts, a casa de Hagrid e o Beco Diagonal, montados da forma exata como vista nos filmes. Nem todos estão abertos para livre acesso. A casa de Hagrid pode ser vista através das portas e janelas, e não é possível entrar nas lojas do Beco Diagonal, por exemplo. Apesar das grades que mantém as mãos dos visitantes longe dos objetos – tocar em algo é mais grave do que pronunciar o nome de Você-Sabe-Quem -, cenários como o escritório de Dumbleodore e o quarto de Harry na Grifinória são bastante convidativos. As grades não impedem que você se sinta dentro do cenário e não prejudicam o passeio, pelo contrário. O cuidado serve para que tudo permaneça intacto e para que o próximo visitante encontre a exposição como se tivesse sido organizada pela Ordem da Fênix.

Os figurinos mostram de maneira clara como os atores cresceram ao longo do tempo, com exceção de Daniel Radcliffe, que permaneceu praticamente da mesma altura. As roupas de Dumbleodore e dos principais professores; as vestimentas que os protagonistas usaram no Baile de Inverno em “Harry Potter e o Cálice de Fogo” (2005); e peças icônicas como a camiseta azul clara de Harry e o casaco cor de rosa de Hermione, ambos de “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” (2004), são os figurinos que mais animam o público. As varinhas dos principais personagens, as horcruxes, o Mapa do Maroto, a Pedra Filosofal e muitos, mas muitos outros objetos fazem parte das milhares de peças expostas em “The Making of Harry Potter”.

>> O primeiro ano de “Harry Potter and the Cursed Child” em Londres

>> Efeitos e canções conquistam público em “Aladdin” em Londres

(Foto: Warner Bros. Studio Tour London – The Making of Harry Potter)

Em determinados momentos, a visita deixa de chamar atenção pelos detalhes e surpreende o público pela grandiosidade. Os peões do jogo de xadrez de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (2001), o carro voador de Arthur Weasley, o Nôitibus Andante, a casa dos Dursley na Rua dos Alfeneiros e outras construções gigantescas dão a exata dimensão de como eram os cenários completos. Talvez o grande destaque da exposição seja a Plataforma 9 3/4, com o Expresso de Hogwarts, trem original usado nas gravações para levar os alunos de Londres à Escola de Magia. É possível – e bastante emocionante – caminhar pelos apertados corredores dos vagões, onde as cabides foram ambientadas cronologicamente com objetos de cada um dos filmes da saga “Harry Potter”. Inaugurada em 2017, a Floresta Proibida traz o hipogrifo Bicuço e mostra como foram criadas algumas das aranhas de “Harry Potter e a Câmara Secreta” (2002).

Em partes menos populares da exposição, há uma série de salas que contém rascunhos das construções, engenharias mecânicas usadas para fazer determinados detalhes acontecerem e parte das maquiagens, perucas e parafernálias concebidas para a caracterização dos seres mágicos. Em uma das salas, um vídeo com Emma Watson (atriz intérprete de Hermione Granger) pede que as pessoas prestem atenção aos trabalhos criados por uma equipe gigantesca que se esconde atrás das câmeras. Sem muito sucesso, a seção é uma das menos populares, talvez por estar no final de um passeio que dura cerca de três horas de duração. O Livro Monstruoso dos Monstros e Voldemort em sua fase mais debilitada, são algumas das peças exibidas em funcionamento e com parte da mecânica à mostra. No mesmo espaço há um boneco do Dobby e parte da estrutura do figurino de Hagrid, criado para que o ator Robbie Coltrane se parecesse muito maior do que os demais personagens de “Harry Potter”.

O “Warner Bros. Studio Tour London – The Making of Harry Potter” fica em Leavesden, uma área de Watford, cerca de 50km de Londres. O passeio abre todos os dias, menos em raríssimas exceções. As datas e horários podem ser conferidos no site oficial da exposição. Os ingressos custam de £29,00 a £48,95. Há pacotes promocionais para famílias. Crianças até 04 anos não pagam. As entradas precisam ser compradas antecipadamente, pois não há venda de ingressos no local. As limitadas e muito disputadas entradas podem ser encontradas na página oficial do evento. Saindo da estação London Euston, o trem demora cerca de 20 minutos para a estação Watford Junction, onde há um ônibus do evento que custa £2,00 apenas ida ou £2,50 ida e volta. São 15 minutos até os estúdios. Atenção! Há trens que saem de London Euston em direção à Watford Junction que não são diretos e demorarm três vezes mais tempo para chegar. Informe-se antes de embarcar. Os ingressos tem horário marcado, mas há uma grande abertura para atrasos por conta do grande número de turistas que desconhecem o lugar. A equipe está preparada para auxiliar o visitante em todas as situações. Caso prefira, há ônibus que te levam do centro de Londres direto para Leavesden. As passagens podem ser compradas no site oficial da Golden Tours.

error: