O encontro com Françoise Forton e Aloisio de Abreu na estreia de “Nós Sempre Teremos Paris”

IMG_1171

A estreia de “Nós Sempre Teremos Paris” foi aguardada não só pelo público paulista, mas pelo elenco também: “Não víamos a hora de chegar em São Paulo!”, disse Françoise Forton ao final da primeira apresentação no palco do Teatro Raul Cortez. “Vocês são do…!”, completou Aloisio de Abreu de forma politicamente incorreta. O clima de descontração permeou o ambiente do início ao fim: “Não faz isso, Aloisio, estamos em São Paulo!”, brincou a atriz durante um dos momentos mais divertidos do espetáculo.

A história simples e tocante fala sobre a vida de um casal que se apaixonou na cidade francesa e não se reencontrou por 20 anos. Com referências de artistas como Sylvie Vartan, Maurice Chevalier e Charles Aznavour, a dupla mostra-se afinada em canções lindíssimas como “La Vie En Rose” (Edith Piaf), “C’est Si Bon” (Eartha Kitt), “Et Maintenant” (Gilbert Bécaud) e “Non, Je Ne Regrette Rien” (Edith Piaf). Até uma versão de “Garota de Ipanema” faz parte do setlist de “Nós Sempre Teremos Paris”.

Após a apresentação, os artistas receberam os cumprimentos dos amigos no hall do teatro e conversaram com o Setor VIP em um encontro exclusivo. Confira!

Françoise Forton

Françoise Forton

Setor VIP: Qual a lembrança mais marcante que vocês tem de Paris?

Aloisio de Abreu: Fui à Paris uma vez e a cidade é encantadora! Na França todo mundo tem o costume de beber muito vinho, né? Uma vez almocei, pedi uma taça e mais uma e outra… (risos) Quando me vi tinha tomado umas oito taças de vinho e saí meio cantando pelas ruas, inebriado por esse clima que Paris faz entranhar na gente. (sorri)

Françoise Forton: Quando fiz 15 anos fui à Paris como presente de aniversário e foi uma viagem muito gostosa. Nós não tínhamos dinheiro e me lembro que fiquei em um bairro de estudantes em Quartier Latin. Minha grande farra era comprar aquela bisnaga, o queijo francês e um vinho pequeno e ficar no hotel onde estava, que era um quarto muito simples, e degustar aquilo enquanto planejava o que faria no dia seguinte. (sorri) Foi o início de uma etapa da minha vida. Foi muito bom!

Aloisio de Abreu: Quando li o texto do (Artur) Xexéo reconheci os lugares do qual falávamos. Adorei conhecer Le Marais (um bairro parisiense), o museu Georges-Pompidou (Centre national d’art et de culture Georges-Pompidou) e a avenida Champs-Élysées. Fui no verão e caminhar à beira do Sena onde as pessoas ficam sentadas como se fosse a praia deles é a coisa mais linda…

Setor VIP: Vocês gostam de viajar?

Aloisio de Abreu: Gosto muito!

Françoise Forton: Adoro!

Setor VIP: Quais outros lugares ficaram marcados para vocês?

Françoise Forton: Quando fazia parte do “Fodidos Privilegiados”, do (Antônio) Abujamra, fomos para o Festival Internacional de Teatro do Porto, em Portugal, com “A Serpente”, de Nelson Rodrigues. Faríamos só o Festival mas conseguimos fazer Sandim, Coimbra, Cascais e Lisboa. Dina Sfat era viva e nos ajudou. Foi um sucesso estrondoso! Quando ia começar o espetáculo quem estava do lado de fora rompeu as portas e invadiu inclusive a área que iríamos trabalhar. Sem nenhum quebra quebra, entraram porque queriam ver. Foi incrível e foram assim todos os dias que a gente se apresentou lá no Teatro da Graça, no Largo da Graça. Foi maravilhoso!

Aloisio de Abreu: Nova York sempre! Vou duas vezes por ano. Sou de cidade grande mas, às vezes, gosto de me esconder. Gosto da Chapada dos Veadeiros (GO) e da Chapada dos Guimarães (MT). Sou muito dos pólos, às vezes estou mais introspectivo, às vezes mais mundano.

Setor VIP: Sobre o repertório composto por músicas francesas, vocês conheciam bem as canções?

Françoise Forton: Algumas conhecia porque ouvíamos em casa. Minha mãe cantava “La Vie En Rose” quando eu era criança. Aqui fiquei mais próxima de algumas, não conhecia a letra de “Non, Je Ne Regrette Rien” profundamente e hoje é uma música que me emociona muito.

Aloisio de Abreu: Minhas irmãs são mais velhas do que eu e a geração delas ouvia muito, então escutava de carona Sylvie Vartan, Françoise Hardy…

Françoise Forton: Não tenho uma música favorita, mas “La Vie En Rose” é muito bonita, né? (sorri)

Setor VIP: Que outro tipo de música vocês gostam?

Aloisio de Abreu: Sou super eclético, vou de Donna Summer à Vivaldi, de Zeca Pagodinho à música eletrônica. Gosto de tudo.

Françoise Forton: Muita MPB, muito Chico Buarque, Elis Regina, música clássica e ópera. Agora escuto muito musical também!

Setor VIP: Estudando para o seu próximo projeto*?
*Françoise fará o musical “Estúpido Cupido”.

Françoise Forton: Estudando à beça! (sorri)

Setor VIP: A expectativa para a temporada paulista de “Nós Sempre Teremos Paris” é tão alta quanto à carioca?

Françoise Forton: Demais! Estou muito feliz e só tenho a agradecer ao Eduardo (Barata) por ter tido a coragem de produzir esse espetáculo e a todo o escritório Barata Comunicação. Sou super grata!

Aloisio de Abreu: Amo São Paulo e espero que a gente tenha uma longa história de amor! Nós sempre teremos São Paulo! (sorri)

Aloisio de Abreu

Aloisio de Abreu

“Nós Sempre Teremos Paris” está em cartaz no Teatro Raul Cortez (Rua Dr. Plínio Barreto, 285, Bela Vista) às sextas (21h30), sábados (21h) e domingos (18h). Os ingressos podem ser encontrados no e custam de R$20,00 (meia) a R$40,00 (inteira). Até 30/03.

error: