[ESPECIAL NOVA YORK] O surpreendente e energético “School of Rock”

(Foto: Matthew Murphy)

Baseado no longa-metragem homônimo estrelado por Jack Black em 2003, “School of Rock” está em cartaz no Winter Garden Theatre, em Nova York, desde 2015. Programado para encerrar definitivamente em 20 de janeiro de 2019, o espetáculo é produzido e composto por Andrew Lloyd Weber, criador de musicais como “Cats”, “Evita”, “Jesus Cristo Superstar” e “O Fantasma da Ópera”; e dirigido por Laurence Connor, responsável pelo especial de “O Fantasma da Ópera” no Royal Albert Hall (2011), pela recente turnê de “Jesus Cristo Superstar” (2012) e pelo revival de “Les Misérables” (2012).

Justin Collette interpreta Dewey, um roqueiro que se passa por professor substituto quando enfrenta problemas financeiros. O artista encabeça os principais números do musical como os empolgantes “You’re in the Band” e “Stick It to the Man”, executada em três versões durante o espetáculo. Katherine McLaughlin representa Rosalie, a conservadora diretora da Horace Green, instituição onde se passa a história de “School of Rock”. A artista interpreta “Where Did the Rock Go?”, uma das mais bonitas canções do musical. Jonathan Gould se destaca ao interpretar o divertido amigo de Dewey, Ned.

(Foto: Matthew Murphy)

Todas as crianças do elenco cantam ao vivo e parte delas toca os instrumentos durante as canções executadas pela banda infantil formada durante o desenrolar da história. O talento dos artistas mirins é evidenciado principalmente durante o número “Amazing Grace”, solo executado por Layla Capers, intérprete da personagem Tomika. A coreografia de JoAnn M. Hunter respeita a particularidade de cada criança, que desempenha os passos de maneira livre e natural, transmitindo para o público a quase incontrolável vontade de pular durante as canções na companhia do festivo elenco, encabeçado pelo multitalentoso Collette.

O grandioso cenário assinado por Anna Louizos respeita o histórico construído pelos grandes musicais da Broadway. Formada por imensos painéis realistas, a cenografia contraria a recente moda da utilização de telões com imagens digitais. Louizos também é responsável pelo figurino do espetáculo, livremente inspirado no longa-metragem. Nos cinemas, “School of Rock” lucrou cerca de US$100 milhões. Em 2016, a produção original da Broadway concorreu há cerca de 20 prêmios, incluindo o Tony Awards de Melhor Musical, consolidando a qualidade indiscutível do espetáculo. “School of Rock” chega ao Brasil em 2019.

>> Visto por 140 milhões de pessoas, “O Fantasma da Ópera” retorna a São Paulo

>> “Annie” supera grandes produções e eleva patamar do Teatro Musical no Brasil

(Foto: Matthew Murphy)

“School of Rock” está em cartaz no Winter Garden Theatre (1634 Broadway – Manhattan), em Nova York, às segundas (19h), terças (19h), quartas (14h), sextas (20h), sábados (14h e 20h) e domingos (14h e 19h). As entradas custam de US$59 a US$250 e podem ser compradas através do site oficial do Telecharge. “School of Rock” tem classificação livre e duração de 2h30, incluindo um intervalo de 15 minutos. Até 20 de janeiro de 2019. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1