Ovacionado, Chico Buarque revisita carreira em “Caravanas”

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Afastado dos palcos há seis anos, Chico Buarque retorna aos holofotes com a turnê “Caravanas”. Após a estreia nacional em Belo Horizonte, a passagem avassaladora pelo Rio de Janeiro e o cumprimento da primeira parte da extensa turnê em São Paulo, o músico se prepara para viajar para outras capitais brasileiras com o espetáculo visto por cerca de 47 mil pessoas. “Boa noite”, cumprimenta comedido o público que lotou o Tom Brasil no último domingo (11). Depois de “Minha Embaixada Chegou” e “Cigano”, responsáveis pela abertura de “Caravanas”, Chico se divertiu com os versos de “Partido Alto” e dividiu os vocais de “Iolanda” com a cantora Bia Paes Leme.

Todas as faixas do álbum homônimo lançado em agosto de 2017 estão presentes em “Caravanas”. Primeira canção nova executada no espetáculo, “Casualmente” precede “A Moça do Sonho”, uma das duas músicas não inéditas do disco (a outra é “Dueto”). “‘A Moça do Sonho’ é de Edu Lobo. Grande Edu!”, homenageia antes de reconhecer sua admiração por Tom Jobim. “São letras que escrevi para músicas que gostaria de ter composto”, confessa antes de “Retrato em Preto e Branco”, de 1965. “Desaforos” e “Injuriado” antecedem “Dueto”, com nova participação de Bia Paes Leme. No álbum, Chico Buarque divide os vocais com a neta Clara Buarque – filha de Carlinhos Brown com Helena Buarque. Durante o espetáculo, a letra da canção que possui versões com Nara Leão e Zizi Possi ganha métodos mais modernos para demonstrações de amor, como o Facebook, além de brincar com plataformas como o antigo fax e o extinto Orkut.

>> Mais vídeos do show “Caravanas” no canal oficial do Setor VIP no YouTube!

Executando o repertório praticamente sem intervalos, Chico é interrompido após a interpretação das canções “A Volta do Malandro” e “Homenagem ao Malandro”, um dos momentos mais aplaudidos da noite. Durante a introdução de “Palavra de Mulher”, o músico percebe um burburinho na plateia, para de tocar seu violão e, em alguns segundos, compreende que o público grita “fora Temer”. O cantor aguarda que as pessoas se acalmem, aplaude os espectadores de maneira discreta, brinda com seu copo de água e retoma a canção. Após se divertir com um elogio vindo de um homem da plateia, Chico Buarque canta as novas “Jogo de Bola” e “Massarandupió”. “Massarandupió, na Bahia, onde meus primeiros netos passaram a infância bem pequenininhos, é onde minha filha Helena, enterrou o cordão umbilical do meu neto Chiquinho, que virou Chico Brown, meu parceiro em ‘Massarandupió'”, conta antes de “Outros Sonhos” e “Blues Pra Bia”.

“A História de Lily Braun” antecede “A Bela e a Fera” e “Todo o Sentimento”. De pé e próximo ao público, Chico interpreta “Tua Cantiga”, primeira música de trabalho do disco “Caravanas”. Pela primeira vez durante o espetáculo, o cantor se locomove para as laterais do palco, levando o público ao delírio. Após “Sabiá”, o astro apresenta seus talentosos companheiros: Luiz Claudio Ramos (maestro e violonista), João Rebouças (piano), Bia Paes Leme (teclados e vocais), Chico Batera (percussão), Jorge Helder (contrabaixo), Marcelo Bernardes (flauta e sopros) e Jurim Moreira (bateria), substituindo o parceiro Wilson das Neves, falecido em 2017.

“Esse show é dedicado ao nosso companheiro de tantos palcos, tantos camarins, tantas viagens, tantos momentos felizes: Wilson das Neves”, relembra antes de vestir um chapéu e interpretar a alegre “Grande Hotel”. Mudando o tom do espetáculo, Chico Buarque canta “Gota d’Água” e anuncia o fim do show com as canções “As Caravanas”, “Estação Derradeira” e “Minha Embaixada Chegou”, faixa que abriu a apresentação. Com o público de pé e próximo ao palco, o músico retorna ao palco para uma interpretação inesquecível de “Geni e o Zepelim”. No meio de “Futuros Amantes”, uma espectadora desconcerta o cantor ao gritar “Casa comigo, Chico!”. Timidamente, o artista se despede novamente, retornando ao palco pela terceira e última vez segundos depois. Chico Buarque aplaude o público e corre sorridente de um lado para o outro do palco cumprimentando as pessoas. “Paratodos” exalta inúmeros astros da música popular como Luiz Gonzaga, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roberto Carlos, Gal Costa e Maria Bethânia. “Caravanas” termina com a frase “vou na estrada há muitos anos, sou um artista brasileiro”.

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Chico Buarque retorna ao Tom Brasil (Rua Bragança Paulista, 1281 – Chácara Santo Antônio), em São Paulo, a partir de 22 de março de 2018. Serão mais quatro semanas, sempre às quintas (22h), sextas (22h), sábados (21h30) e domingos (18h30). As entradas custam de R$100,00 (meia) a R$490,00 (inteira) e podem ser encontradas através do Ingresso Rápido. Para as próximas duas semanas, há lugares disponíveis apenas para a apresentação do dia 29. “Caravanas” tem duração aproximada de 95 minutos e classificação indicativa para maiores de 14 anos. Acompanhe a agenda da turnê através da página oficial de Chico Buarque no Facebook.