“Rent” comemora 20 anos com adaptação em São Paulo

(Foto: Caio Gallucci)

Baseado na ópera “La Bohème”, de Giacomo Puccini, o musical “Rent” estreou em Nova York em 1996. Escrito por Jonathan Larson, o espetáculo causou grande impacto e se tornou uma das maiores referências do mundo por abordar de maneira aberta e direta temas como homossexualidade, drogas e HIV/AIDS. Em 1999, o Brasil ganhou a primeira versão nacional de “Rent”. Dirigido por Billy Bond, o elenco contava com nomes como Jarbas Homem de Mello, Alessandra Maestrini e Marcos Tumura. O espetáculo esteve em mais de 100 cidades, em cerca de 20 línguas diferentes. Para comemorar o vigésimo aniversário desde a estreia mundial do musical, “Rent” chega ao Teatro Frei Caneca, em São Paulo, pelas mãos de artistas jovens, movidos pelo amor e em busca de mudanças concretas que ultrapassem o âmbito teatral.

No currículo dos principais atores do elenco há alguns dos mais conceituados espetáculos do planeta como “Wicked”, “Mamma Mia!”, “Cinderella” e “Mudança de Hábito”, o que possibilita uma alta cobrança do público em relação ao desempenho dos profissionais. Myra Ruiz (a Elphaba da versão brasileira de “Wicked”) se destaca como a mais completa artista de “Rent”. Exímia atriz e cantora, Myra movimenta e estabelece o ritmo do espetáculo ao interpretar a divertida Maureen. “Over The Moon” é, de longe, o melhor número da adaptação brasileira. A dupla de amigos Mark e Roger, vivida respectivamente pelos talentosos Bruno Narchi (de “Cinderella”) e Thiago Machado (de “Mamma Mia!”), mostra cumplicidade e arranca merecidos aplausos da plateia. São eles os responsáveis pelas cenas mais naturais e emocionantes do musical. Apesar de excelentes cantores, os artistas ficam atrás apenas da forte capacidade vocal – auxiliada pela excelente canção “I’ll Cover You” – de Max Grácio (“Mudança de Hábito”), intérprete de Collins. Uma das menos experientes artistas do elenco, a belíssima Ingrid Gaigher soma ao musical com sua impecável interpretação da personagem Mimi, uma das participações mais similares com o espetáculo da Broadway.

Na sessão de estreia, Diego Montez (Angel) e Priscila Borges (Joanne) não se destacaram de maneira positiva. Montez desafinou em determinantes notas de suas canções e por diversos momentos aparentou cansaço, transmitindo o contrário do que a alegre personagem tenta comunicar ao público. Apesar de excelente cantora, Priscilla não atende às expectativas com sua interpretação. Mauro Sousa (Benny) completa o elenco principal, que conta com o apoio do competente coro formado por Arthur Berges, Bruno Sigrist, Carol Botelho, Felipe Domingues, Guilherme Leal, Kaíque Azarias, Lívia Graciano, Philipe Azevedo, Thuany Parente e Zuba Janaina. Juntos, os artistas se encarregam de executar alguns dos mais icônicos momentos de “Rent”, como a apresentação das sensacionais canções “La Vie Boheme” e “Seasons of Love”. A descuidada tradução do espetáculo é assinada por Mariana Elisabetsky, responsável pelas versões de musicais como “Wicked” (em parceria com Victor Mühlethaler) e “Meu Amigo Charlie Brown”. A direção musical é de Daniel Rocha.

A versão nacional de “Rent” é uma adaptação da obra original e provoca os admiradores mais fervorosos do musical. Produzido por Narchi em parceria com Bel Gomes, o espetáculo mantém o conceito idealizado por Larson, mas com uma proposta estética completamente diferente da conhecida pelo público que conferiu a peça na Broadway ou se apaixonou pela versão cinematográfica de 2005. Figurinos icônicos e momentos significativos cederam espaço para a criatividade do grupo, que diminuiu o impacto de cenas específicas ao redesenhar o que era perfeito. Além de inferior ao original, o cenário criado por André Cortez limita a visão do público. Pelo formato da estrutura central, alguns personagens ficam de costas para parte da plateia em determinados momentos e por incontáveis minutos. Os deslizes poderiam ser evitados por uma direção mais dedicada de Susana Ribeiro, que perde grandes oportunidades de marcar o público como, por exemplo, na cena em que Maureen confronta Benny durante a introdução de “La Vie Boheme”. Com exceção de algumas peças das personagens Angel e Maureen, o figurino de Fause Haten passa despercebido.

>> Blog do Setor: Com estreia marcada, elenco de “Rent” reúne imprensa em São Paulo

>> Myra Ruiz e Fabi Bang voam alto na versão nacional do musical “Wicked”

(Foto: Caio Gallucci)

“Rent” está em cartaz no Teatro Frei Caneca (Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 567 – Bela Vista), em São Paulo. Em 2016, o espetáculo terá sessões nos dias 19, 20 e 21 de dezembro. Em 2017, a temporada terá início no dia 10 de janeiro. Terças e quartas às 21h. As entradas custam de R$50,00 (meia) a R$100,00 (inteira) e podem ser adquiridas através do Ingresso Rápido. “Rent” tem duração de 150 minutos, incluindo um intervalo de 15 minutos, e é recomendado para maiores de 14 anos. Até 29 de março. Estrela1 Estrela1 Estrela1