“Romeu e Julieta” se transforma em musical ao som de Marisa Monte

(Foto: Felipe Panfili)

Visto por mais de 60 mil espectadores, “Romeu e Julieta” entra no último mês de temporada em São Paulo. Em cartaz no Teatro Frei Caneca, o espetáculo se destaca na programação cultural da cidade pelo desafio de contar a clássica história de William Shakespeare com músicas de Marisa Monte. No repertório estão canções de sua carreira solo e do projeto Tribalistas, como “Amor I Love You”, “Ainda Bem”, “Bem Que Se Quis”, “Beija Eu”, “Infinito Particular”, “Não Vá Embora”, “O Que Você Quer Saber de Verdade” e “Velha Infância”.

Uma das tragédias mais populares da história, “Romeu e Julieta” conquista o público pela sumária adaptação e pelo agradável roteiro musical assinado por Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche. Duas ou três músicas de outros artistas que foram interpretadas em momentos específicos da carreira de Marisa Monte surpreendem o público negativamente, rompendo a continuidade que a trilha-sonora da artista carioca constrói de maneira tão delicada, como “Negro Gato”, popularizada nacionalmente após a versão de Roberto Carlos.

(Foto: Felipe Panfili)

A intencionalmente fria e surpreendentemente sofisticada cenografia assinada por Daniela Thomas e algumas peças específicas do figurino criado por João Pimenta auxiliam de maneira poética e marcante o trabalho do talentoso elenco. Além de um exímio cantor, Thiago Machado se destaca na atuação de Romeu. Intérprete de Julieta, Bárbara Sut chama atenção por sua beleza e pela impressionante afinação. No último sábado (29), a sessão assistida pelo Setor VIP teve Ícaro Silva substituído por Jorge Neto no papel de Mercuccio.

Entre as inúmeras cenas marcantes do espetáculo está o número “Vilarejo”, última cena do primeiro ato, quando o Frei (interpretado pelo ótimo Claudio Galvan) celebra a união de Romeu e Julieta. Na canção, o personagem é acompanhado por um coro expressivamente harmônico formado pela quase totalidade do elenco. Com direção de Guilherme Leme Garcia, “Romeu e Julieta” derrapa ao se posicionar em campanhas extremamente válidas, porém em momentos inoportunos do espetáculo. Em determinada cena, Ama (interpretada por Stella Maria Rodrigues) solta “não é não” fazendo menção à campanha das mulheres contra o assédio. Logo depois, a mesma personagem grita “ele não”, fazendo alusão à campanha contra o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, quando na verdade está falando de Romeu para Julieta. Embora tente se posicionar como um espetáculo politicamente correto, uma conversa entre Romeu e o Frei revela a frase “sua aparência diz que você é um homem, mas essas lágrimas são de mulher”, deixando passar a falsa ideia de que a mulher seria o “sexo frágil”.

“Romeu e Julieta” é a vigésima quinta produção da Aventura Entretenimento e marca o aniversário de 10 anos da empresa responsável por musicais como “A Noviça Rebelde” (2008), “Hair” (2010) e “Um Violinista no Telhado” (2011), além das criações nacionais “Elis, A Musical” (2013), “Rock in Rio – O Musical” (2013), “Bem Sertanejo” (2017), entre outros.

>> “Annie” supera grandes produções e eleva patamar do Teatro Musical no Brasil

>> Visto por 140 milhões de pessoas, “O Fantasma da Ópera” retorna a São Paulo

(Foto: Felipe Panfili)

“Romeu e Julieta” está em cartaz no Teatro Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – Consolação), em São Paulo, sextas (20h30), sábados (16h e 20h) e domingos (19h). As entradas custam de R$37,50 (meia) a R$200,00 (inteira) e podem ser encontradas no site oficial do Ingresso Rápido. Atenção: o elenco do espetáculo pode sofrer alterações sem aviso prévio. “Romeu e Julieta” tem classificação indicativa livre e duração aproximada de 2h30 minutos, incluindo um intervalo de 15 minutos. Até 21 de outubro. Em novembro, o espetáculo entrará em turnê passando por Florianópolis, Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte. Estrela1 Estrela1 Estrela1