Tatá Werneck fala sobre comédia “TOC – Transtornada Obsessiva Compulsiva”

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Programado para chegar às salas de cinema de todo o Brasil na próxima quinta-feira (02), o longa-metragem “TOC – Transtornada Obsessiva Compulsiva” marca a primeira protagonista da comediante Tatá Werneck nas telonas. Acompanhada por Vera Holtz e por Ingrid Guimarães, a artista recebeu a imprensa em São Paulo na última segunda-feira (30). “Na busca pelo sucesso, vivemos uma euforia, uma adrenalina. Hoje que estou com uma certa idade, que sinto algumas dores, acho que estar feliz é estar em paz”, brinca antes de completar que o que a faz feliz é “a Rede Globo, paz e um parceiro”.

“TOC – Transtornada Obsessiva Compulsiva” fala sobre Transtorno Obsessivo Compulsivo de uma maneira cômica mas com uma mensagem dramática nas entrelinhas. “Eu era uma criança que recebi o aval da vida para ter TOC. Pequena, tive algumas manias que minha mãe teve medo que se tornassem TOC, mas não desenvolvi”, confessa Tatá, intérprete da personagem Kika, uma artista que sofre com as limitações de sua doença. “Em contrapartida, meu melhor amigo desenvolveu e ao mesmo tempo que sua rotina era muito engraçada, era também muito sofrida. Então, tive vontade de falar sobre esse misto de dor e riso”, pontua.

>> Mais vídeos da coletiva de “TOC” no canal oficial do Setor VIP no YouTube!

“Fiz muitos anos de teatro antes de conseguir me manter com meu trabalho. Com 26 anos, estava vestida de mosquito fazendo uma peça na empresa que meus amigos da faculdade trabalhavam”, conta Werneck. “Só pensava que se eu desistisse, eu não iria ser feliz”, revela sobre o difícil início de sua carreira. “Já tive muita vontade de desistir, mas acho que é natural pensarmos nisso. A Fernanda Montenegro tem a melhor resposta para esse questionamento: você deve desistir, se você não conseguir viver sem, aí você volta”, aconselha.

Em “TOC – Transtornada Obsessiva Compulsiva”, Ingrid Guimarães interpreta uma versão diferente de si mesma. “Como deixei colocar meu próprio nome nesse personagem?”, questiona bem humorada. “Não sou eu, né? Mas foi incrível. Tenho uma participação pequena, mas eu e Tatá temos uma história muito bonita no cinema. Não nos conhecíamos, encontrei com ela em um restaurante e ela aceitou meu convite para fazer ‘De Pernas Pro Ar 2′”, conta. “Eu tinha acabado de terminar um namoro, quando meu ex soube que eu faria um filme da Ingrid ele pediu para voltar”, brinca Tatá antes de completar que uma das cenas das atrizes é extramente engraçada. “Tenho vontade de lançar um material só com o que não foi ao ar dessa cena. Tem uns 20 minutos. Não dá para fazer igual ‘Os Trapalhões’ e colocar os erros no final?”, se diverte.

Confira as fotos:

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)