Você pode dançar e se esbaldar: 10 anos do filme “Mamma Mia!”

(Foto: Reprodução Internet)

Formado no início dos anos 70, o quarteto sueco ABBA alcançou o topo das principais paradas de sucessos do mundo com músicas como “The Winner Takes It All”, “Slipping Through My Fingers”, “Voulez-Vous”, “Gimme! Gimme! Gimme!” e “Dancing Queen”. Pouco mais de dez anos depois de se tornar um dos grupos mais bem-sucedidos da história, a banda parou de se apresentar. No final da década de 90, Benny Andersson e Björn Ulvaeus, integrantes do ABBA, se reuniram para criar “Mamma Mia!”, musical que teve sua premiere mundial em Londres. Desde a estreia em 1999, o musical foi visto por mais de 60 milhões de pessoas e rendeu mais de US$2 bilhões.

Em 2008, “Mamma Mia!” tomou conta das salas de cinema ao redor do planeta, contagiando milhares de espectadores com as mais famosas canções do grupo ABBA. Baseado no espetáculo homônimo, o longa-metragem custou mais de US$50 milhões, mas arrecadou quase US$620 milhões, se tornando um dos maiores sucessos musicais da sétima arte. Primeiro filme para os cinemas dirigido pela inglesa Phyllida Lloyd (que pouco tempo depois produziu o premiado “A Dama de Ferro”), “Mamma Mia!” reuniu um elenco estelar, incluindo Meryl Streep, Pierce Brosnan, Colin Firth, Christine Baranski, Julie Walters, Dominic Cooper e Amanda Seyfried.

(Foto: Reprodução Internet)

Das vinte canções presentes no filme, “When All Is Said and Done” é a única faixa que não faz parte do repertório do musical. “Under Attack”, “One of Us” e “Knowing Me, Knowing You” fazem parte do espetáculo teatral e ficaram de fora do longa-metragem. A produção cinematográfica tem quase uma hora a menos do que o musical original, mas não perde em qualidade e nem elimina partes fundamentais da história. Entre os grandes números do filme estão “Dancing Queen”, “Lay All Your Love on Me”, a sequência “Gimme! Gimme! Gimme!” e “Voulez-Vous”, e “Slipping Through My Fingers”, que ressalta a sintonia entre Amanda Seyfried e Meryl Streep.

A primeira cena de Pierce Brosnan, quando o personagem Sam deixa Nova York para seguir para a Grécia, foi gravada em Londres. A maneira com que as pessoas se vestem e os carros – principalmente os táxis – foram adaptados para dar realismo à tomada. A pousada de Donna, personagem de Streep, foi construída no Pinewood Studios, situado em Buckinghamshire, aproximadamente 30 quilômetros a oeste do centro de Londres. A grande maioria das cenas externas de “Mamma Mia!” foram filmadas na ilha de Skopelos, na Grécia, incluindo as tomadas na praia – gravadas na Kastani Beach – e o casamento de Sophie, personagem de Seyfried – que aconteceu na Agios Ioannis Chapel. Kalokairi é uma ilha fictícia.

(Foto: Reprodução Internet)

Em comemoração ao 10º aniversário do lançamento do filme, a Universal Pictures lança uma série de novos produtos do filme. Além das versões em DVD e Blu-Ray, “Mamma Mia!” chega às lojas em versões duplas, com um disco bônus. Os extras contidos na mesma mídia do longa-metragem não são novidade para alguns admiradores, porém os documentários do disco bônus são inéditos e exclusivos, incluindo entrevistas com a diretora Phyllida Lloyd, a roteirista Catherine Johnson e a produtora Judy Craymer, e cenas dos bastidores dos principais números, mostrando as gravações das músicas em estúdio e os ensaios de dança.

As mídias duplas trazem dentro da caixa uma espécie de livro com fotos e histórias de “Mamma Mia!”, desde a criação para os palcos até a adaptação para as telas de cinema. Em uma versão exclusiva para a Saraiva, a edição de 10º aniversário de “Mamma Mia!” ganha uma embalagem única que, além do Blu-Ray, do DVD bônus e do livro, traz uma necessaire de brinde. O material foi remasterizado e conta com imagem e som em alta definição, além de áudios e legendas em inglês, espanhol e português. “Mamma Mia!” é um filme de trilha-sonora contagiante, extremamente bem-produzido, alegre, divertido e para toda a família.

(Foto: Reprodução Internet)