West End ovaciona espetacular musical “42nd Street”

Musical 42nd Street em Londres

(Foto: Divulgação)

Em abril de 2017, “42nd Street” estreou no Theatre Royal Drury Lane em Londres. O espetáculo ocupa o mesmo espaço onde a versão original estreou em 1984. Estima-se que mais de 280 mil pessoas assistiram às cerca de 150 apresentações do espetáculo estrelado por Sheena Easton. Com direção de Mark Ramble e coreografia de Randy Skinner – responsáveis pela primeira produção -, o musical tem encantado o público com coreografias de tirar o fôlego.

O musical é baseado no longa-metragem homônimo dirigido por Lloyd Bacon em 1933. No entanto, a obra cinematográfica foi inspirada no livro lançado um ano antes por Bradford Ropes. Nos cinemas, “42nd Street” conquistou os espectadores arrecadando cerca de US$2.250 milhões. A produção é considerada a responsável por salvar a Warner Bros. da falência e pelo resgate dos musicais nos Estados Unidos, inclusive concorrendo ao Oscar de Melhor Filme.

Em 1998, “42nd Street” foi selecionado pelo National Film Registry como sendo culturalmente, historicamente ou esteticamente significante para os Estados Unidos. Quase dez anos depois, o American Film Institute escolheu o longa-metragem como o 13º melhor musical na lista dos maiores musicais americanos de todos os tempos.

Uma das estrelas do longa-metragem, Ginger Rogers aceitou participar de “42nd Street” por insistência de seu namorado da época, o diretor Mervyn LeRoy. Em 1969, a atriz curiosamente estrelou o musical “Mame” no Theatre Royal Drury Lane, casa de espetáculos que recebeu “42nd Street” no West End.

Musical 42nd Street em Londres

(Foto: Divulgação)

Em 1980, “42nd Street” estreou no Winter Garden Theatre em Nova York. Depois de quase 3.500 apresentações, encerrou a temporada e se tornou um dos musicais mais bem sucedidos da história. Hoje, “42nd Street” ocupa a 14ª colocação na lista dos musicais americanos com mais tempo em cartaz de maneira ininterrupta na Broadway. Entre outros prêmios, o espetáculo conquistou o Tony de Melhor Musical. Em 1984, a produção desembarcou em Londres, vencendo o Olivier Award de Melhor Musical.

Três anos após a estreia, Catherine Zeta-Jones era um dos membros do coro da produção em cartaz no West End. Segunda substituta da personagem Peggy Sawyer, Zeta-Jones estreou no papel principal quando ambas as atrizes ficaram indisponíveis, uma por férias e outra por doença. A história da garota do coro que se torna uma estrela se tornou real. Um dos produtores do espetáculo estava na plateia e ficou impressionado com a habilidade da artista. Catherine interpretou Sawyer pelos próximos dois anos.

Antes do atual espetáculo no West End, “42nd Street” foi remontado na Broadway conquistando mais um Tony, dessa vez de Melhor Revival. O musical passou por diversas cidades dos Estados Unidos, da Europa e da Ásia.

>> O primeiro ano de “Harry Potter and the Cursed Child” em Londres

Musical 42nd Street em Londres

(Foto: Divulgação)

Em sua estreia nos palcos do West End, Sheena Easton interpreta Dorothy Brock, uma reconhecida artista prestes a estrear um grande musical. Seis vezes indicada ao Grammy, Sheena Easton ganhou dois. Com 16 álbuns gravados e 45 singles lançados pelo mundo, Easton conquistou três discos de ouro e dois de platina. A cantora vendeu mais de 20 milhões de álbuns. Ao lado da artista, Clare Halse protagoniza o espetáculo como a estreante Peggy Sawyer, uma garota do coro que aproveita a oportunidade de estar em um espetáculo profissional para mostrar suas habilidades.

Em espetáculos adultos, raramente o público demonstra calorosamente sua admiração, principalmente em Londres, onde os espectadores são bem mais contidos em comparação às plateias da Broadway, por exemplo. Em “42nd Street”, são incontáveis as vezes que o público interrompe o espetáculo com aplausos e gritos ensurdecedores. Os números do musical são extraordinários e extremamente impactantes, com destaque para “Audition”, “Getting Out Of Town”, “Dames”, “Sunny Side To Every Situation” e “Lullaby of Broadway”. Pouco antes do agradecimento final, o número “42nd Street” encerra o espetáculo com chave de ouro. Enquanto o elenco executa a coreografia, o cenário se transforma de maneira quase mágica e, no ápice da canção, a orquestra interrompe a música para que os artistas sapateiem a melodia sem acompanhamento. Uma das experiências mais impactantes do espetáculo.

São mais de 50 artistas no elenco. Em determinados números, 45 se encontram ao mesmo tempo em cima do palco, cantando e dançando em sincronia e em sintonia vista apenas nos mais espetaculares shows do planeta. “42nd Street” é o sinônimo de uma montagem imperdível.

Musical 42nd Street em Londres

(Foto: Divulgação)

Com grandiosos cenários assinados por Douglas W. Schmidt e deslumbrantes figurinos criados por Roger Kirk, “42nd Street está em cartaz no Theatre Royal Drury Lane (Catherine Street – Covent Garden) em Londres. De segunda à sábado, 19h30. Há sessões extras todas as quartas e sábados às 14h30. Não há espetáculo aos domingos. Os ingressos custam de £18,80 a £156,30 e estão sendo vendidos através do site oficial Cheap Theatre Tickets até fevereiro de 2018. “42nd Street” tem duração de 2h30, incluindo um intervalo de 20 minutos. Em cartaz por tempo indeterminado. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1

error: