Zezé di Camargo e Luciano divertem público na reestreia da turnê “Sonho de Amor”

Foto: Cláudio Augusto

Foto: Cláudio Augusto

O caótico trânsito de São Paulo não impediu que o fiel público da dupla sertaneja mais bem-sucedida do país comparecesse em peso à reestreia do espetáculo “Sonho de Amor”. Zezé di Camargo e Luciano com certeza notam a diferença de seus admiradores desde “É o Amor” (1991). 23 anos atrás não haveria nenhum lugar vazio, pelo contrário, a casa estaria lotada horas antes do show começar, afinal, seria inaceitável perder um segundo sequer da história que a dupla faria aquela noite. Mesmo com um ou outro espaço e muita gente chegando em cima da hora ou atrasada, a convicção do que aconteceria naquele palco era certa.

Foto: Cláudio Augusto

Foto: Cláudio Augusto

Com mudanças perceptíveis do show que rodou o Brasil no ano passado, a turnê “Sonho de Amor” contou com um poema de autoria de Zezé na abertura. Depois de duas ou três músicas, o artista cumprimenta o público e erra o nome da casa que agora se chama Citibank Hall (antigo Credicard Hall). Brincalhão, começa a contar histórias e cita a descoberta de câmeras em celulares quando percebeu que a plateia no Japão possuía muitas luzes acesas. Sobre a diminuição dos aparelhos, somada à lenda dos órgãos genitais dos asiáticos, a piada estava pronta: “Só sei que de goiano é grande!”, divertiu-se. “Nós vamos fazer show na Angola e vou cantar com a bunda pregada na parede”, disse arrancando risadas do publico.

“Cada Volta é Um Recomeço”

http://youtu.be/lZSipnHD9G4

Visivelmente preocupado com sua voz, Zezé errou a canção “Pior é Te Perder” e se perdeu em “Cada Volta é Um Recomeço”. Consertadas graciosamente na primeira vez por ele e na segunda por Luciano, o show continuou em um clima familiar presente em poucos espetáculos por aí. Familiar mesmo! Luciano deu um show de simpatia. Cumprimentou alguns fãs, deu autógrafos e tirou fotos durante suas performances. Em determinado momento, recebeu duas bonecas de presente para dar às suas filhas gêmeas e não exitou em entrega-las na mesma hora para sua esposa, Flávia, que estava com Helena e Isabella no colo. O cantor ainda tem dois filhos, Wesley e Nathan. Igor, fruto do casamento de Zezé com Zilú, também compareceu. Camila e Wanessa não estavam, mas a filha famosa foi lembrada. A irmã da dupla, Luciele, e seu marido Denílson além do ator Henri Castelli também marcaram presença.

“Na Hora H”

http://youtu.be/ysWhOdS4A4c

Sobre a experiência de ser avô, Zezé conta que diverte-se com o neto e que adora a hora de entrega-lo para a mãe e para o pai quando se cansa: “Não estou naquela fase que a filha e o genro saem e deixam a criança na casa para os avós cuidarem”, conta. “Dei essa sorte porque a gente viaja no fim de semana”, disfarça. Antes de “Como Um Anjo”, a dupla dividiu mais experiências: “Essa canção tem uma história engraçada, entrou no disco por insistência do compositor. Na época gravávamos CDs e vinis e no LP não cabia a mesma quantidade que no disco, combinamos que sairia apenas no CD e mesmo assim tornou-se um dos nossos maiores sucessos até hoje. Passou de geração para geração”. Além de “Como Um Anjo”, Lucas Robles – que estava na plateia – ainda compôs o grande sucesso “Amor Selvagem”.

“Como Um Anjo”

http://youtu.be/_cPLdFUGmDI

Daí em diante foi um espetáculo de música, simpatia e profissionalismo. Ao fazer piada mais uma vez, Zezé desmentiu sem querer as matérias sobre o retorno de seu casamento que saíram durante a semana: “Estou solteiro, tenho que fazer propaganda!”, antes de dar o clima de companheirismo e amizade que embalou a canção “É o Amor”, com fotos dos irmãos no telão transformadas em algo como uma história em quadrinhos com influência da Pop Art: “Eu gosto quando você fala que é…”, instiga Luciano. “É o nosso DNA. Porque nossa história começou exatamente assim”. E a primeira canção da dupla ainda emociona e arrepia.

Zezé ainda cantarolou “Ai Se Eu Te Pego”, de Michel Teló, (“Essa música é muito boa!”), a dupla levantou a plateia com hits como “Tarde Demais”, “Menina Veneno” e “Pão de Mel” e mexeu com o público com “Coração Está em Pedaços”: “Quem se lembra dessa aqui?”. É impossível esquecer dos versos “Diga se te deixei faltar amor, se o meu beijo é sem sabor, se não fui homem pra você”. Muitas piadas depois (“Pra gente o teto é muito mais longe do piso” / “Deus é justo, mas essa calça…”), o show chega ao fim deixando o público ávido por mais. E sucesso é o que não falta!

“Pão de Mel”

http://youtu.be/x9be47IacZo

Zezé di Camargo e Luciano viraram uma espécie de patrimônio histórico. Encarados com mais naturalidade pela plateia – principalmente pela proximidade com que tratam o público -, a excelência da experiência chega a ser emocionante. Mesmo com a rouquidão de Zezé – que foge ao controle do artista – e com alguns tropeços nas letras e na produção, o show vale a pena. Os erros imprevistos parecem ensaiados tamanho o jogo de cintura e o conforto que os experientes sertanejos demonstram quando estão no palco.

“Sonho de Amor”

https://www.youtube.com/watch?v=cF71_mTBSgg

>> Gostou dos vídeos? Veja mais em nosso canal do YouTube!