250 canções compõem repertório de “70? Década do Divino Maravilhoso”

(Foto: Allan Fernando)

Domingo. O palco está com as cortinas fechadas. A estrutura assemelha-se a uma vitrola. Quando as luzes se apagam, surge no telão um vídeo de Cid Moreira no Jornal Nacional. Pelas próximas três horas, as centenas de pessoas que preenchem a plateia do Theatro NET, em São Paulo, serão envolvidas em uma espécie de espetáculo documental que revisita os anos 1970.

“70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical” possui um repertório composto por mais de 250 canções (a maioria em pequenos fragmentos), apresentadas em ordem cronológica. Durante os números musicais, fotografias, vídeos e depoimentos são exibidos em telões laterais, transformando o espetáculo em uma experiência dinâmica e enriquecedora.

(Foto: Allan Fernando)

Entre os cantores nacionais citados no espetáculo estão Tim Maia, Jorge Ben Jor, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa, Gilberto Gil e Chico Buarque. Números musicais relembram histórias marcantes como o primeiro especial de Roberto Carlos na Rede Globo (1974) e o encontro de Tom Jobim e Elis Regina (1974). Em relação à música brasileira, destacam-se as cenas em que são homenageados Raul Seixas e o grupo Dzi Croquettes.

Bob Marley, The Carpenters, David Bowie, Diana Ross, Donna Summer, Elton John, Queen e The Rolling Stones são alguns dos artistas internacionais presentes no musical. Na cronologia estão momentos como a separação dos Beatles (1970), a passagem de Janis Joplin pelo Brasil (1970) e a morte de Elvis Presley (1977). “Imagine”, de John Lennon, e a homenagem ao grupo sueco Abba estão entre as cenas mais marcantes.

Embora a música seja o principal foco do espetáculo, “70? Década do Divino Maravilhoso” transita por diversos temas como política (ditadura militar, exílio e censura), esportes (como a conquista do tricampeonato do Brasil na Copa do Mundo de 1970), cinema (“Grease”, “Os Embalos de Sábados à Noite”, “O Poderoso Chefão” e “Star Wars”) e televisão (“A Grande Família”, “Irmãos Coragem”, “Sítio do Picapau Amarelo”, “Gabriela” e “Dancin’ Days”).

(Foto: Allan Fernando)

“70? Década do Divino Maravilhoso” é uma superprodução. Mais de 100 profissionais estão envolvidos no espetáculo, incluindo o talentoso elenco formado por 24 artistas. Cenografia e iluminação são assinados por Natália Lana e Césio Lima, respectivamente. Bruno Perlatto é o responsável pelos mais de 300 figurinos e Victor Maia pelas empolgantes coreografias.

Depois da participação de Wanderléa em “60! Década de Arromba”, “70? Década do Divino Maravilhoso” traz ao palco Baby do Brasil* e as Frenéticas. O espetáculo dá continuidade à quadrilogia que seguirá com documentários sobre os anos 80 e 90. A primorosa pesquisa é assinada por Marcos Nauer. A irretocável direção é de Frederico Reder.

*Inicialmente, Baby do Brasil participará apenas das sessões de março.

>> Canções de Lulu Santos compõem repertório de “Meu Destino é Ser Star”

>> São Paulo recebe primeira versão nacional do musical “Billy Elliot”

(Foto: Allan Fernando)

“70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical” está em cartaz no Theatro NET (Rua Olimpíadas, 360 – Itaim Bibi), em São Paulo, às quintas (20h30), sextas (20h30), sábados (17h00 e 21h00) e domingos (17h00). As entradas custam de R$37,50 (meia) a R$250,00 (inteira) e podem ser encontradas no site oficial do Ingresso Rápido. “70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical” tem classificação indicativa para maiores de 12 anos e duração de 180 minutos, incluindo um intervalo de 15 minutos. Até 30 de junho. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1