“As Cangaceiras” homenageia cultura nordestina e mulheres do Cangaço

(Foto: Priscila Prade)

Segundo o dicionário, a palavra “popular” significa “relativo ou pertencente ao povo; adaptado à compreensão ou ao gosto das massas; que não custa muito; que representa a vontade do povo; que é do agrado do povo”. “As Cangaceiras – Guerreiras do Sertão” é um espetáculo popular. Além de fazer parte do programa de cultura gratuita do Sesi, o musical conta de maneira ficcional uma importante passagem da história do Brasil.

O Cangaço foi um movimento contra a desigualdade social que aconteceu entre o final do século XIX e o início do século XX, no nordeste do país. Embora extremamente violenta, a ação possui em seu entendimento histórico a compreensão de que os cangaceiros buscavam por justiça, inconformados com a falta de alimentos e de empregos.

“As Cangaceiras” é uma fábula sobre a participação da mulher no cangaço. O espetáculo propõe uma reflexão sobre o conceito de justiça adotado pelos homens, que não incluía as mulheres, muitas vezes sequestradas e vítimas de violência por parte dos cangaceiros. O musical exalta a determinação da mulher, que se rebela e vai à luta por seus direitos em um sangrento campo de batalha dominado pelos homens*.

*Historicamente, não há registros de grupos formados por mulheres como o descrito no espetáculo.

(Foto: Priscila Prade)

Com direção geral de Sergio Módena e direção musical de Fernanda Maia, “As Cangaceiras” apresenta um repertório formado por canções originais. Embora não contribuam para o ritmo do espetáculo, as músicas inspiradas em ritmos da cultura nordestina foram compostas em parceria por Fernanda Maia e por Newton Moreno, autor de “As Cangaceiras”.

Nascido em Recife, Newton Moreno se tornou conhecido pela influência da cultura popular brasileira e pela presença de movimentos sociais em seus espetáculos. Durante sua carreira, o dramaturgo conquistou diversos prêmios, incluindo os APCA de Melhor Espetáculo (“Agreste”) e Melhor Autor (“Agreste”), e os Shell de Melhor Texto (“Agreste” e “As Centenárias”).

Em cena estão cinco músicos e treze artistas, incluindo a protagonista Amanda Acosta (Serena), a experiente Vera Zimmermann (Deodata) e os talentosos Marco França (Taturano), Rebeca Jamir (Mocinha) e Jessé Scarpellini (Namorado). “As Cangaceiras” tem figurino assinado por Fabio Namatame, cenário de Marcio Medina e iluminação de Domingos Quintiliano.

>> Texto de Walcyr Carrasco conta história de Nossa Senhora Aparecida

>> 250 canções compõem repertório de “70? Década do Divino Maravilhoso”

(Foto: Priscila Prade)

“As Cangaceiras – Guerreiras do Sertão” está em cartaz no Teatro do Sesi (Av. Paulista, 1.313 – Cerqueira César), em São Paulo, às quintas (20h), sextas (20h), sábados (20h) e domingos (19h). As entradas para o espetáculo são gratuitas e devem ser reservadas antecipadamente no site oficial do Sesi. “As Cangaceiras – Guerreiras do Sertão” possui classificação indicativa para maiores de 12 anos e duração de 120 minutos. Até 04 de agosto. Estrela1 Estrela1 Estrela1