“Baby Jane” motiva histórico encontro de Eva Wilma e Nicette Bruno

(Foto: Marcos Mesquita)

(Foto: Marcos Mesquita)

Um dos encontros mais espetaculares das últimas décadas acaba de estrear nos palcos paulistas. Eva Wilma e Nicette Bruno interpretam as lendárias personagens Baby Jane e Blanche Hudson na primeira versão teatral do clássico “O Que Terá Acontecido a Baby Jane?”. O espetáculo é baseado no longa-metragem dirigido por Robert Aldrich. Lançado em 1962, o filme reuniu as inimigas confessas Bette Davis e Joan Crawford, e se tornou uma das mais marcantes colaborações da história do cinema mundial. Pelo papel de Baby Jane, Davis concorreu ao Oscar, ao BAFTA e ao Globo de Ouro na categoria Melhor Atriz. “O Que Terá Acontecido a Baby Jane?” recebeu a indicação à Palma de Ouro em Cannes e venceu o Oscar de Melhor Figurino. O clássico rendeu por volta de US$ 9 milhões.

Jane Hudson alcançou o sucesso quando criança e ficou conhecida pelo grande público como Baby Jane. Ao perceber o êxito de sua irmã, Blanche passa a apresentar-se, tornando-se a principal rival da jovem artista da família. Blanche cresce e transforma-se em uma adulta de sucesso, até que um misterioso acidente – considerado pela mídia e pelos espectadores como provocado por Baby Jane – coloca a bem sucedida artista em uma cadeira de rodas. O acontecimento muda a vida de ambas. Enquanto Blanche tem sua amarga irmã como principal cuidadora, Jane luta para se reerguer e retomar sua carreira sem a artista mais velha no caminho, afinal, desde o sumiço de ambas, que vivem enclausuradas em uma mansão, o público se pergunta: o que terá acontecido a Baby Jane?

Os direitos da adaptação teatral foram liberados para Charles Möeller e Claudio Botelho, dez anos depois de ter sido finalizada pelo próprio autor do roteiro original, Henry Farrell. Se existisse a possibilidade de ficar em cartaz enquanto houver público, “O Que Terá Acontecido a Baby Jane?” certamente seria um desses espetáculos que duram anos e atravessam gerações. Tal fato se daria pelos indiscutíveis talento e popularidade de Eva Wilma e Nicette Bruno somados à história que, pelas mãos da veterana dupla, ganha ares de produção hollywoodiana no Brasil. Cada detalhe é pensado de maneira a atrair a atenção do público e marcá-lo para sempre, desde o deslumbrante figurino assinado por Carol Lobato, passando pela iluminação de a iluminação de Paulo César Medeiros, até o grandioso cenário criado por Rogério Falcão.

Não é exagero afirmar que “O Que Terá Acontecido a Baby Jane?” é o tipo de espetáculo que permanecerá na memória da plateia para sempre. Um encontro de tamanha importância não acontece nos palcos brasileiros desde os anos 60, quando Paulo Autran e Bibi Ferreira se uniram para o musical “Minha Bela Dama”. Desde então, nenhuma estrela de primeira grandeza dividiu o palco com um artista do mesmo calibre, embora com o passar dos anos centenas de talentos tenham sido descobertos em papéis menores ao lado de grandes profissionais. O fato é que em “O Que Terá Acontecido a Baby Jane?”, Eva Wilma e Nicette Bruno possuem o mesmo nível de reconhecimento do público brasileiro e construíram carreiras históricas. Em cena, as atrizes são capazes de arrancar aplausos eufóricos do mais contido dos espectadores.

“O Que Terá Acontecido a Baby Jane?” é uma merecida homenagem às grandes artistas.

>> Eva Wilma: “Não sou de televisão, teatro ou cinema: sou atriz”

(Foto: Marcos Mesquita)

(Foto: Marcos Mesquita)

Com Licurgo Spínola, Nedira Campos, Teca Pereira, Rachel Rennhack, Juliana Rolim e as crianças Sophia Valverde e Duda Matte, “O Que Terá Acontecido a Baby Jane?” está em cartaz no Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos), em São Paulo, às sextas (21h), sábados (21h) e domingos (20h). As entradas custam de R$ 25,00 (meia) a R$ 120,00 (inteira) e podem ser adquiridas no site oficial do Ingresso Rápido. O espetáculo tem duração de 90 minutos e a classificação indicativa é para maiores de 14 anos. Até 30 de outubro. Imperdível. Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1 Estrela1