Diogo Vilela e Sylvia Massari cantam no musical “Sim! Eu Aceito!”

Depois de uma curta passagem pelo Rio de Janeiro, o musical “Sim! Eu Aceito!”, cumpre temporada no Teatro Gazeta, em São Paulo. As exclamações que sobram no título, faltam no palco. Mais empolgante na ideia do que na execução, a história que conta o passar dos anos de um casal a partir do “sim”, dito em seu casamento, não surpreende. A paixão inicial, o caso extra conjugal, o nascimento dos filhos, as brigas, as reconciliações e todos os clichês estão presentes, de forma linear e sem grande impacto. A peça se passa de 1898 (quando o casal tem por volta de 25 anos) a 1948 (quando completam em torno de 75).

IDoTopo

Encenada por apenas um casal de atores, “Sim! Eu Aceito!”, tem o privilégio de contar com Diogo Vilela e Sylvia Massari no elenco. Apesar da maneira característica com que interpreta seus personagens – principalmente os que cantam -, Diogo se destaca pelo ator esforçado que é. E não é necessário acompanhar os ensaios do espetáculo para perceber isso. Michael exige de Vilela uma dedicação admirável, pouco vista mesmo em grandes atores. Sem abandonar o palco por mais de 5 minutos – reservados exclusivamente para suas rápidas trocas de figurino -, o artista mostra-se seguro para cantar a difícil tradução de Flávio Marinho, arrumar a cama que saiu do lugar, soltar a cortina que ficou presa na escrivaninha e ainda fazer piada com a tosse de sua companheira de palco.

Sylvia Massari encanta como Agnes, principalmente ao vestir os cuidadosos figurinos de Clívia Cohen. É ela, com seus vestidos e suas perucas, a responsável por situar o público no tempo e definir a passagem dos anos. É também responsabilidade da cantora emocionar a plateia com suas notas precisas e extremamente agradáveis de se ouvir. Ao contrário de Diogo (e talvez pelo número muito menor de personagens), Massari não lembra em nada seus trabalhos anteriores.

IDoMatéria01

A cumplicidade do casal em cena é indiscutível. Ambos revivem em “Sim! Eu Aceito!” uma parceria iniciada em 2006, durante o espetáculo “Cauby! Cauby!” e retomada em “A Gaiola das Loucas”, em 2010. Em carisma, Diogo Vilela e Sylvia Massari conquistam igualmente o público, que se empolga apenas em duas ou três piadas presentes no texto e que poderiam ter sido melhores aproveitadas na direção de Cláudio Figueira. Apesar das dezenas de intervenções instrumentais – que diminui ainda mais o ânimo da plateia -, “Sim! Eu Aceito!” possui mais um ponto positivo que deve ser observado atentamente: a cenografia, rica em detalhes, assinada também por Cohen. Baseado na peça “The Fourposter”*, de Jan de Hartog, o musical “I Do! I Do!”, estreou na Broadway em 1966.

*Um tipo de cama mais comum antigamente, que possui quatro colunas em seus cantos para sustentar um teto ou cortinas.

IDoFoot

“Sim! Eu Aceito!” está em cartaz no Teatro Gazeta (Av. Paulista, 900), em São Paulo, às sextas (21h00), aos sábados (21h00) e aos domingos (18h00). Os ingressos custam de R$35,00 (meia) a R$80,00 (inteira) e podem ser encontrados através do site oficial do espaço. Até 31 de maio.