Em show emocionante, público ovaciona talentosa banda Melim

(Foto: Filipe Vicente / Setor VIP)

Em 2016, a recém-formada banda Melim ficou nacionalmente conhecida após participar do programa Superstar, na Rede Globo. Três anos após a exposição, o trio se mantém em um crescente e merecido sucesso, resultado de muito trabalho e do indiscutível talento.

Na última quinta-feira (02), Diogo, Gabriela e Rodrigo desembarcaram em São Paulo para duas sessões no Teatro Bradesco. Com ingressos esgotados, as apresentações reuniram cerca de três mil pessoas. Fazendo em média dez shows por mês, os irmãos comprovaram que possuem disposição e empenho suficientes para entreter e emocionar o público.

“Só quem está feliz faz barulho!”, pede Gabriela durante “Peça Felicidade”, primeira canção do espetáculo. Em seguida, “Meu Abrigo” instiga o público a cantar a plenos pulmões. Sucesso do grupo Natiruts, “Sorri, Sou Rei” antecede “Hipnotizou” e “Confusão”.

Gabriela demonstra seu alcance vocal antes de “Ouvi Dizer”. Todos possuem momentos solo que não descaracterizam o espetáculo. Em determinados pontos, integrantes se retiram do palco para que o foco do número aproveite seu espaço com liberdade. Quase imperceptíveis, os artistas retornam aos seus postos. Tudo executado de maneira extremamente natural.

(Foto: Filipe Vicente / Setor VIP)

“Tudo bem com vocês?”, pergunta Rodrigo antes de “Sabe Lá” e “Era Pra Ser Outra Canção Feliz”. “Essa música é dedicada para todas as rainhas da nossa plateia”, oferece Diogo. Embora classificado como um grupo pop, a banda Melim possui composições com características muito fortes de MPB e influência de gêneros como o folk e o reggae.

O interesse pelo ritmo jamaicano se torna incontestável nas próxima parte do show, que inclui a controversa “Maju”. Em um delicioso medley de músicas do gênero, o trio interpreta clássicos como “Um Anjo do Céu”, do Maskavo; “Three Little Birds”, de Bob Marley; “Vamos Fugir”, de Gilberto Gil; e “Onde Você Mora?”, do Cidade Negra.

“Que lindo!”, surpreende-se Gabriela. “Viver de música em um país que não investe em cultura e educação é um privilégio. Eu não sei o que vocês viveram, mas tenho certeza que todos temos algo em comum. Se vocês se identificam com nossa música, que fala de amor, é porque todos nós somos pessoas de amor”, discursa.

“Se estamos no palco é porque nossos pais nos apoiaram. É importante respeitar e apoiar a criança independente da escolha”, afirma Diogo. “Digo isso porque também sou pai, tenho um bebezinho de dois anos, e nosso papel é apoiar. Obrigado pela presença de todos os pais e mães que trouxeram seus filhos”, agradece.

>> Assista vídeos exclusivos da Melim no canal oficial do Setor VIP no YouTube!

>> Em São Paulo, Ivete Sangalo estreia turnê “Live Experience”

(Foto: Filipe Vicente / Setor VIP)

“A mãe de uma amiga que faria Medicina no vestibular me perguntou o que eu faria depois do terceiro ano. Quando respondi que faria Música, ela soltou uma frase que achei muito interessante: ‘vai viver de sonho?'”, conta Rodrigo. “Hoje a gente brinca que a gente vive do sonho que é fazer música e poder cantar para o Brasil inteiro”, finaliza antes de “Apê”.

Depois de interpretar “Nem Um Dia”, de Djavan, Rodrigo prepara o público para “Transmissão de Pensamento”. “É tão bonito ver tanta gente reunida”, elogia Diogo. “Empatia é uma coisa muito forte. Não conheço a maioria de vocês, mas tenho certeza que todos são seres humanos lindos, porque consigo me colocar no lugar de vocês”, discursa antes da bonita “Dois Corações”.

Apresentado no Superstar, o medley de “Anunciação” (Alceu Valença) e “Put Your Records On” (Corinne Bailey Rae) antecede “Avião de Papel” e “Não Demora”. “A gente perde tempo demais achando que temos pouco tempo, então vamos viver!”, aconselha Gabriela.

“Espero que vocês tenham curtido essa noite tanto quanto a gente!”, agradece Diogo. “Graças ao carinho de vocês, essa música ficou em primeiro lugar na lista das canções mais tocadas do Brasil!”, empolga-se Diogo antes de repetir o sucesso “Ouvi Dizer”. Durante a despedida, a Melim interpreta “Oração”, de A Banda Mais Bonita da Cidade.