“Mudança de Hábito”: o melhor espetáculo musical do ano!

(Foto: Divulgação)

Anos 70. Após testemunhar um assassinato, a cantora Deloris Van Cartier (Karin Hils) procura a polícia para dar parte do namorado Curtis Jackson (Cesar Mello). Ex-colega de classe, o agente Eddie (Thiago Machado) esconde a artista em um convento. Irmã Maria Clara – como passa a ser chamada, conta com a ajuda da Irmã Maria Roberta (Ana Luiza Ferreira) e da Irmã Maria Patrícia (Andrezza Massei) para sobreviver em um mundo ao qual não pertence e que tem regras rígidas comandadas pela Madre Superiora (Adriana Quadros). Enquanto isso, os capangas de Jackson, TJ (Tiago Barbosa), Joey (Max Grácio) e Pablo (Beto Sargentelli), rodam a Fildélfia em busca do paradeiro de Deloris.

“Mudança de Hábito” estreou em 1992 e levou milhares de pessoas aos cinemas em todo o mundo. O longa-metragem lucrou mais de 200 milhões de dólares, rendeu uma continuação (“Mudança de Hábito 2” em 1993) e um musical que estreou em Londres, em 2009, e chegou a Nova York, em 2011. Produzido por Whoopi Goldberg – a Deloris/Mary Clarence nos filmes, o espetáculo teatral passou por países como Alemanha, Espanha, França, Itália e Japão. No Brasil, a mais empolgante comédia musical da Broadway estreou no dia 05 de março, no Teatro Renault, em São Paulo, e deve seguir em cartaz até dezembro.

Os números são assustadores: são mais de 30 atores, cantores e bailarinos no elenco, acompanhados por uma orquestra com oito músicos, para dar vida às 25 cenas, divididas em dois atos e quase 20 números musicais. São mais de 140 profissionais envolvidos da criação e direção internacional até os técnicos de luz, som, figurinistas e camareiros brasileiros.

“Pro Paraíso” e “Espalhar o Amor” são os números mais empolgantes do espetáculo musical. É impossível resistir ao coro impecável das Irmãs e às suas personalidades marcantes. Andrezza Massei e Ana Luiza Ferreira roubam a cena como a divertida dupla de Irmãs Maria Patrícia e Maria Roberta. Em “Posso Ser o Tal”, Thiago Machado encanta qualquer espectador que eventualmente não tenha sido tocado pela atração até o momento. O número relativamente simples ganha pontos pela atuação graciosa e pela bela voz do artista. Quem acha que o responsável pelo sucesso de “Se Eu Achar Você” é somente o habilidoso Cesar Mello, se engana. Prova disso é “Gata, o Preto Te Cai Bem”, onde os capangas interpretados por Tiago Barbosa, Max Grácio e Beto Sargentelli tem a oportunidade de saírem da sombra do antagonista Curtis Jackson e divertem a plateia com um número recheado de talento e competência. Com quatro vilões desse nível, seria difícil até torcer pela protagonista, se essa não atendesse pelo nome de Karin Hils.

No papel de Deloris/Maria Clara, Karin mostra-se extremamente à vontade. Apesar da icônica interpretação de Goldberg nos filmes e do sucesso avassalador de Patina Miller em Londres e Nova York, a cantora não deve em nada aos mais conservadores. Não há como compará-la: sua interpretação é tão autêntica e sua voz tão gostosa de ouvir, que não há tempo de pensar em qualquer referência prévia durante o musical. Além de tudo, a artista fica praticamente o espetáculo todo no palco, cantando e dançando com a mais intensa energia possível. São mais de duas horas e trinta minutos em cada uma das seis apresentações por semana!

Apesar das canções serem originais, o musical não perde em nada para o filme. As músicas utilizadas no longa-metragem não puderam ser aproveitadas no espetáculo devido às reivindicações dos direitos autorais. A história que se passa em Reno e em São Francisco nos anos 90, foi trazida para a Filadélfia dos anos 70. A tradução peca por modificar piadas para a realidade mais comum do brasileiro, deixando determinadas informações sem sentido, como quando uma das Irmãs se refere à uma santidade como Silvio Santos. Os cenários criados por Klara Zieglerova e os figurino desenhados por Lez Brotherston impressionam pela beleza e grandiosidade.

(Foto: Divulgação)

“Mudança de Hábito” está em cartaz no Teatro Renault (Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 411), em São Paulo, às quintas (21h), sextas (21h), sábados (17h e 21h) e domingos (16h e 20h). Os ingressos custam de R$25,00 (meia) a R$260,00 (inteira) e podem ser encontrados na Tickets For Fun. Mais informações através do site oficial do espetáculo. Imperdível.