Pitty e Ricardo Spencer falam sobre clipes no Music Video Festival

COLABORAÇÃO: Cíntia Carvalho

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

No último domingo (07), a cantora Pitty e o cineasta Ricardo Spencer participaram da 3° edição do Music Video Festival. O evento aconteceu no MIS – Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. Os artistas foram convidados para o bate papo “Unha e Carne – Especial Made in Bahia”, que destacou a parceria entre os baianos. O MVF (forma carinhosa com que os participantes se referem ao festival) teve início no sábado (06) e ofereceu uma programação com debates, instalações e shows que celebram a produção e exibição de vídeos clipes nacionais e internacionais.

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Spencer é responsável pela produção e direção de vários clipes de Pitty, como “Setevidas” (2014), “Só Agora” (2010) e “Me Adora” (2009), além de dirigir o documentário “Chiaroscope” (2009) e o clipe “130 anos” (2012), do projeto paralelo Agridoce. A mais recente parceria dos artistas deu origem ao vídeo de “Um Leão” (2015), faixa do disco “Setevidas” (2014). O clipe faz parte do DVD “Pela Fresta” (2015), lançado em março, e coleciona mais de 230 mil visualizações no perfil oficial da cantora no YouTube.

“Setevidas”, clipe de Pitty dirigido por Ricardo Spencer:

Durante a conversa, Pitty e Spencer contaram sobre a amizade que mantém desde a adolescência, falaram de como nascem as ideias para as produções e de onde surgem suas referências. O cineasta falou que ao voltar para o Brasil após uma temporada no exterior, Pitty começava a despontar na cena do rock nacional. Sem contatos devido ao tempo ausente, ele a contatou pelo telefone. “Perguntei se ela não queria que eu fizesse assistência na produção dos clipes e ela disse ‘não, eu quero que você mesmo seja o produtor'”, confessou orgulhoso.

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

>> Leia nossa resenha sobre o show da Pitty!

A partir daí, unindo amizade e criatividade, os dois criaram uma cumplicidade artística que gerou bons frutos a ambos. Assim que voltou para São Paulo, Spencer dirigiu em parceria com Alexandre Guena o clipe “Memórias” (2005), que levou, no ano seguinte, o VMB (Video Music Brasil) e o Prêmio Multishow. No mesmo ano, encabeçou o ousado projeto para o clipe “Deja Vú” (2005). Nesse vídeo, Pitty e sua banda caminham pela Rua Aurora, em São Paulo, conhecida como a antiga Cracolândia, região dominada por usuários de crack. O local precisou ser isolado durante as gravações o que gerou desconforto com os traficantes e viciados locais.

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Eles contam que Pitty sempre traz a ideia inicial e, a partir dela, discutem e amadurecem juntos os projetos para os clipes. Sobre “Um Leão”, Ricardo conta que recebeu uma ligação da cantora em que ela dizia: “Ricardo, eu quero dançar”. Com o plano e seguindo ainda a ideia de fazer algo minimalista, começaram a criar. A princípio, o cineasta imaginou algo cotidiano. “Pensei nela dançando e limpando a casa num momento pós-festa, por exemplo, mas ela queria algo ainda mais minimalista”, disse.

Assista ao clipe “Um Leão”:

Assim partiram para o resultado final em que Pitty dança sozinha e sem coreografia pré-estabelecida. O vídeo, todo em preto e branco e com várias cenas de detalhes (olhos, pés, mãos), oferece um teor dramático, poético e sensual como a letra da música: “Ouça bem o que vou propor, nós a sós no elevador, use bem meu despudor, sou harém ao seu dispor”. A cantora completou dizendo que faz isso em casa: “Coloco um som e danço. É só alguém dançando. Não tem coreografia, não tem que ser bonito ou estar certo”, afirmou.

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

(Foto: Cíntia Carvalho / Setor VIP)

Para o futuro, mais clipes devem surgir dessa parceria. “Tenho ideia de clipe para todas as músicas de ‘Setevidas'”, disse Pitty. “É uma ideia só, mas penso em fazer um da música ‘Pequena Morte'”, completou. A cantora ainda admitiu ter vontade de dirigir um vídeo, ela mesma. “Mas você tem que estar junto”, afirmou referindo-se ao talentoso e inseparável Ricardo Spencer.