Público comparece em peso ao novo show do Capital Inicial

COLABORAÇÃO: Mayra Rowlands

(Foto: Francisco Cepeda)

(Foto: Francisco Cepeda)

Apoiado no sucesso de sua participação no programa “Superstar”, o cantor Dinho Ouro Preto lançou com sua banda, Capital Inicial, o EP “Viva a Revolução”. O formato – chamado assim por conter menos faixas que um CD comum – traz o rock clássico e vigoroso da banda, somada às idéias políticas discursadas incansavelmente por parte de seus integrantes, a maioria criada artisticamente na época em que o rock de Brasília – liderado principalmente por Renato Russo – gritava em alto e (muito!) bom som o que os jovens esperavam do futuro.

Contendo sete faixas, o disco chama atenção pela participação do grupo de rap carioca Cone Crew Diretoria na canção título e do ex-guitarrista do Charlie Brown Jr., Thiago Castanho, em “Coração Vazio”. Com mais de 30 anos de carreira e quase 30 discos na bagagem, não era surpresa encontrar o Citibank Hall, em São Paulo, lotado por um público sedento por música de boa qualidade.

A primeira apresentação do novo trabalho do Capital Inicial na cidade paulista, teve abertura da banda Vespas Mandarinas, que no ano passado foi indicada ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock Brasileiro. Com 40 minutos de show, o grupo formado por Chuck Hipolitho, Thadeu Meneghini, André Dea e Flavio Guarnieri animou quem tomava conta do espaço. O ponto alto da apresentação foi o hit “Não Sei o Que Fazer Comigo”, presente na programação das principais rádios do país.

Por volta de 22h, os veteranos do Capital Inicial entraram no palco e o público veio abaixo. “Respirar Você”, do disco “Gigante” (2004), abriu o espetáculo que teve quase duas horas de duração. Do álbum “Rosas e Vinho Tinto” (2002), a canção “Quatro Vezes Você” empolgou a plateia composta, em sua maioria, por menores de 18 anos. Impossível deixar de reparar que os presentes com mais de 40 eram os que mais se divertiam.

Harmônico, o setlist contou com grandes sucessos dos anos 80 como “Independência”, “Música Urbana” e “Fogo”, músicas do EP como “Viva a Revolução” e “Melhor Do Que Ontem” e, claro, as canções do espólio do Aborto Elétrico como “Fátima” e “Veraneio Vascaína”. Os covers ficaram por conta das carimbadas “Que País é Esse?” e “Geração Coca-Cola” (ambos da banda Legião Urbana), “Mulher de Fases” (Raimundos) e “Primeiros Erros” (Kiko Zambianchi). Presentes há mais de 10 anos no repertório do grupo, os clássicos “Natasha” e “À Sua Maneira” acenderam ainda mais o receptivo e caloroso público. A surpresa da noite ficou por conta de “Olhos Vermelhos” (“Rosas e Vinho Tinto”), que faz parte da trilha-sonora do filme “Dom”, lançado em 2003.

Além do vocalista e frontman Dinho, o Capital Inicial é formado pelos integrantes originais Fê Lemos e Flávio Lemos, por Yves Passarell (ex-Viper e integrante do grupo desde 2002) e pelos músicos de apoio Fabiano Carelli (guitarra) e Robledo Silva (teclados e violão), que trazem um ar fresco à banda. Passe o tempo que passar – e mesmo sem deixar de lado seus discursos políticos – os shows do Capital Inicial fazem o público dançar, cantar e pensar. Tudo isso sem esquecer a diversão, afinal, a energia dos caras é contagiante.

(Foto: Francisco Cepeda)

(Foto: Francisco Cepeda)

A banda passará por Lavras (MG), dia 02/09, por Belo Horizonte (MG), dia 13/09 e pelo Rio de Janeiro (RJ), dia 27/09. Para acompanhar a agenda completa do grupo, acesso o site oficial do Capital Inicial.